Final de No Limite não aumenta audiência

A estratégia da Rede Globo de adiar em uma semana o encerramento do programa No Limite 3, para fugir da concorrência com a final de Casa dos Artistas, do SBT, na semana passada, não deu resultados na audiência. O programa rendeu 37 pontos de audiência, segundo dados preliminares do Ibope. Nas últimas semanas, o Ibope da atração tinha oscilado entre 35 e 36 pontos. A primeira edição computou 43 pontos de média. Já a segunda chegou a 34, uma redução bastante considerável.O resultado foi comemorado no domingo pelo diretor José Bonifácio de Oliveira, o Boninho, que havia amargado uma derrota histórica na semana anterior, quando o reality show da emissora concorrente atingiu média de 47 pontos, ante 17 para No Limite. "Acreditem ou não, a mudança de data não tem relação com nada disso. O programa estava inicialmente previsto para durar nove semanas", garantiu Boninho, apesar das propagandas veiculadas no fim de semana passado anunciando a final.Agora, ele terá a difícil tarefa de comandar o programa Big Brother, com o qual a Globo pretende disputar audiência com a nova edição de Casa dos Artistas. "Não sabemos ainda se haverá outro no Limite", disse o diretor.O vencedor de No Limite 3, gravado na Ilha de Marajó, foi o capitão Rodrigo, que levou para casa um cheque de R$ 300 mil reais. "A sorte contou mais", disse ele, que é comandante de Operações com Cães do Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM) de Natal.A primeira reação ao saber do resultado foi dizer que vai doar parte do dinheiro à Casa de Apoio Nazinha Lamartini, uma instituição que, segundo Rodrigo, presta assistência a crianças com câncer em Natal. "Também vai ajudar a pagar as contas", acrescentou.Em relação a possíveis guinadas na carreira com a vitória, o capitão foi enfático. "Não deixo minha vida militar por nada nesse mundo." Disse, porém, que pode vir a participar de outros programas semelhantes, até mesmo do concorrente Casa dos Artistas, caso seja convidado. "Depois dessa, participo de qualquer coisa."Ele dedicou o prêmio a suas três "famílias": "minha mulher, meu filho, minha mãe e meu pai, é claro, e também à minha família PM e minha família motociclista"!A segunda colocada, Hérica, foi mais direta: "O programa pode me abrir algumas portas. Meu sonho é ser apresentadora de TV". Eleita a musa do programa, ela não desconversou sobre a possibilidade de vir a posar nua. "Se for uma boa proposta, por que não?" Triatleta, a finalista levou R$ 50 mil. Ela disse que adora "buscar novos desafios" e afirma que seu "lado de dentro é melhor que o lado de fora": "Procuro ser uma pessoa de bem", disse.A carioca Tatiana ficou em terceiro lugar. "Estou muito feliz que o capitão ganhou. Ele é bom caráter, tem bom coração." Eliminada, a polêmica Cláudia, que foi acusada de racista durante o programa, fez questão de abraçar os dois participantes negros - Peterson e Fábio. Meio sem jeito, ela atribuiu o discurso racista "à fome e ao stress vividos na Ilha de Marajó". "Eles sabem que nunca tive nenhum ato racista", afirmou. Fábio admitiu que durante o programa teve vontade "de matar" a participante, mas depois passou.Os participantes não-finalistas de No Limite 3, que ficaram quase três meses isolados, levaram R$ 2,5 mil e um carro. "Fiquei super contente, gostei da final. O capitão é muito carismático", disse o apresentador Zeca Camargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.