Filósofo e escritor Julián Marías morre aos 91 anos

O filósofo e escritor espanhol Julián Marías morreu hoje em Madri, aos 91 anos, após sofrer com uma longa doença, segundo seus parentes. Aluno e continuador da obra dos filósofos José Ortega y Gasset e Xavier Zubiri, Marías era membro da Real Academia da Língua Espanhola desde 1964. O corpo do filósofo, que morreu em sua residência de Madri, será transferido para uma funerária ao norte da cidade e amanhã será enterrado no cemitério de Almudena, um dos mais antigos da capital da Espanha. Nascido em Valladolid, em 1914, Marías é autor de cerca de 60 obras, entre elas História da Filosofia, editado no Brasil pela editora Martins Fontes, que publicou ainda Tratado Sobre a Convivência: Concórdia sem Acordo.Marías foi preso durante a Guerra Civil espanhola e esteve prestes a ser executado. Apoiou os republicanos. O filósofo se distinguiu por seu trabalho acadêmico e recebeu inúmeros prêmios e distinções de instituições na Espanha, América do Norte e América latina, entre elas, as universidades de Harvard e Yale.Integrante da Sociedade Internacional da História das Idéias, Marías foi eleito para a Real Academia Espanhola em 1964. Em1996, foi premido com o Príncipe de Astúrias em comunicação e humanidades. Também foi membro da Sociedade Hispânica da América.Marías deixa a mulher Dolores Franco e quatro filhos, entre eles o conhecido escritor Javier Marías.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.