Filosofia com o mestre Domingos

Público aguarda volta do autor/ator, que está doente, a Sentimento do Mundo

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

01 de maio de 2011 | 00h00

Domingos Oliveira filosofa o tempo todo, quem acompanha com atenção sua trajetória no cinema, no teatro e na TV sabe. Sobre a vida, as relações humanas, o lugar do artista. Não é porque está com 74 anos e tenha se investido da condição de sábio. O cineasta, dramaturgo e ator sempre teve esse olhar "mais profundo" sobre tudo, como atestam sua mulher e seus amigos.

Desde o dia 15, ela, Priscilla Rozenbaum, e alguns deles, os atores Ricardo Kosovski, Dedina Bernadelli, Letícia Carvalho e Clarisse Magalhães, além dos músicos Domenico Lancellotti, Rubinho Jacobina, Lincoln Vargas e Wladimir Pinheiro, estão no palco do Oi Futuro Flamengo filosofando com ele na trilogia Sentimento do Mundo, "um divertimento sobre o pensamento de Domingos Oliveira", como se apresenta.

No segundo fim de semana da temporada, ele caiu de cama. E ainda não se recuperou. O público espera a volta do espetáculo, que ficaria em cartaz até dia 8 e agora está em suspenso.

São três peças independentes, Da Sociedade e da Condição Humana, Do Amor e Da Arte e da Transcendência, em uma, ou melhor, uma peça que se desmembrou em três para que não tivesse mais de três horas (coisa que Domingos abomina no teatro).

Os espetáculos são informais, misturam canções, imagens projetadas num telão, alguma encenação e muitas ideias que a plateia acaba levando para casa. O humor e a autodepreciação são duas marcas. "A função última da filosofia não é descobrir a verdade, e sim divertir o filósofo", diz uma de suas frases-conceito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.