Filmes trazem os bastidores da nova Rússia

Os russos tomaram de assalto a Berlinale na segunda-feira. Primeiro filme a tratar da tragédia de Chernobyl, quando um reator explodiu, contaminando uma cidade inteira, An Ordinary Saturday, Um Sábado Comum, desconcerta com sua câmera bêbada que o diretor Alexander Mindadze (foto) usa para filmar a alienação de uma população mantida na ignorância pelo controle de informação no Estado comunista.

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2011 | 00h00

Melhor e mais impactante é o documentário de Cyrill Tuschi sobre Khordorovsky, o bilionário russo preso e condenado, alegadamente por roubar dinheiro do povo da antiga URSS, mas que o filme mostra que foi confinado por outro motivo, bem diverso. Pela ameaça que passou a representar para o governo de Putin e seus asseclas, ao se ligar à oposição.

Tuschi constrói seu documentário como um thriller político sobre os bastidores da nova Rússia. Ele conseguiu depoimentos muito fortes, dentro e fora da Rússia - só não conseguiu falar, compreensivelmente, com a cúpula do governo. Nova? Desde o absolutismo dos czares até a ditadura do proletariado, exercida em nome do povo, a Rússia sofre sob o jugo de tiranos. My Joy já projetara uma visão terrível da Rússia de Putin, como um país de gângsteres. Khordorovsky segue por essa trilha. Como documentação e cinema, é muito bom.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.