Filmes oscilam entre a beleza e a simplificação de sua filosofia

'Siddharta' e 'O Lobo da Estepe' se destacam entre adaptações de Hesse para o cinema

Antonio Gonçalves Filho - O Estado de S. Paulo,

10 de agosto de 2012 | 20h00

Entre as adaptações cinematográficas dos livros de Hermann Hesse, duas se destacam: a de Siddharta, dirigida em 1972 pelo fotógrafo e cineasta norte-americano Conrad Rooks (1934 -2011), e O Lobo da Estepe, realizada dois anos depois pelo diretor, também americano, Fred Haines (1936-2008). A primeira, até por ter a Índia como cenário e fotografia do sueco Sven Nykvist, dos filmes de Bergman, é mais atraente. A segunda frustra o espectador pela incapacidade de traduzir para o cinema a estratégia de Hesse de dividir em três versões a história do protagonista - uma contada pelo sobrinho da senhoria do personagem, outra do próprio Harry Haller, alter ego do escritor, e ainda uma terceira, de um desconhecido autor de um panfleto.

Siddharta responde melhor ao universo de Hesse, em particular pelo esforço de Nykvist em encontrar um correspondente visual para a iluminação do protagonista, um jovem que abandona a casa dos pais em busca de uma vida de contemplação. O filme, como espetáculo, é deslumbrante, mas não as reflexões de Rooks sobre o ideal ascético do filho de brâmanes atraído pelo verdadeiro conhecimento. Ao misturar misticismo oriental com sua formação de junkie egresso da geração hippie, Rooks peca ao contrapor diferentes culturas e assumir um discurso doutrinário que pouco tem a ver com a filosofia de Hesse (apesar dos mochileiros que foram buscar a iluminação na Índia nos anos 1960).

Já o cineasta Fred Haines, ao tentar reproduzir, por meio de efeitos surrealistas, a angústia do personagem Harry Haller em O Lobo da Estepe, um intelectual cinquentão perturbado pela dualidade de sua natureza, envereda por um caminho próximo da estética "camp". Transcendência metafísica vira uma experiência alucinógena e a dualidade homem-lobo vira pretexto para efeitos cinematográficos francamente rudimentares. Em todo o caso, os atores do filme justificam, pelo menos, uma ida à locadora: Max von Sydow lidera um elenco que tem ainda Dominique Sanda e Pierre Clementi.

Os dois filmes estão disponíveis em DVD. Siddharta foi lançado pelo selo Cinemax e ainda pode ser encontrado. O Lobo da Estepe, lançado há alguns anos pelo selo Platina, é mais difícil de achar, mas sua tiragem não está esgotada.

 
Tudo o que sabemos sobre:
Herman Hesse

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.