Filmes na TV

Eloise no Plaza

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2010 | 00h00

15H40 NA GLOBO

(Eloise at The Plaza). EUA, 2003. Direção de Kevin Lima, com Julie Andrews, Jeffrey Tambor, Kenneth Welsh, Debra Monk, Gavin Creel, Jonas Chernick.

Garota de 6 anos que vive com a governanta no Plaza - tradicional hotel de Nova York, próximo ao Central Park, agora transformado em flat - tenta promover o casamento dessa última com um dos hóspedes. Adaptado da série de livros escrita e ilustrada por Kay Thompson e Hilary Knight, o cartaz da Globo é uma produção da Disney para TV, com direção do mesmo Kevin Lima que fez Os 102 Dálmatas e Encantada (também da Disney). Julie Andrews traz ecos de Mary Poppins para a sua personagens. Reprise, colorido, 89 min.

Dirty Dancing, Ritmo Quente

22 H NA REDE BRASIL

(Dirty Dancing). EUA, 1987. Direção de Emile Ardolino, com Jennifer Grey, Patrick Swayze, Jerry Orbach, Cynthia Rhodes, Jack Weston.

Jennifer Grey faz a herdeira mimada que toma lições de vida - e dança - com Patrick Swayze, durante o período de férias, num resort de Nova York, no começo dos anos 1960. Apesar da época retratada, a trilha é tipicamente dos anos 1980, com muito som de discoteca. Não por acaso, o filme ganhou o Oscar de canção, por (I"ve Had) The Time of

My Life. Patrick Swayze, que morreu no ano passado, estava no auge, mas hoje parece um tanto ridículo com aquele cabelo meio "príncipe valente". Reprise, colorido, 100 min.

Kickboxer 3: A Arte da Guerra

23H20 NA BANDEIRANTES

(Kickboxer III - The Art of the War). EUA, 1992. Direção de Rick King, com Sasha Mitchell, Dennis Chan, Richard Comar, Alethea Miranda, Milton Gonçalves, Ricardo Petraglia, Gracindo Junior, Kate Lyra, Fábio Junqueira.

Como metade do elenco deste filme de ação é formada por brasileiros, você já viu, não é? Como Os Mercenários e O Incrível Hulk, a versão com Edward Norton, a história passa-se no Rio, onde o lutador Sasha Mitchell participa de torneio contra campeão argentino. Ele se liga a casal de irmãos e, quando a garota é sequestrada, adivinhe se o herói não parte para o pau. Reprise, colorido, 92 min.

Intercine

1H55 NA GLOBO

A emissora exibe o preferido do público entre - Desafio Radical, de Christian Duguay, com Devon Sawa, Rupert Graves, Bridgette Wilson e Rufus Sewell, sobre trio que ganha a vida participando de filmagens de comerciais; quando o patrocinador exige cenas de avalanche, lá vão eles para os Alpes, onde topam com terrorista sérvio escondido numa estação de esqui; e O Pentelho, de Ben Stiller, com Jim Carrey e Matthew Broderick, um filme irritante, mas com boas observações (e muito bem interpretado) sobre instalador de TV carente que invade a vida pacata de um sujeito. Não deixa de ser curioso como uma espécie de Atração Fatal sem sexo, entre homens.

Amanhã

A Globo exibe amanhã, no Intercine, o preferido do público entre - Anjos da Noite: A Evolução, de Len Wiseman, com Kate Beckinsale, Scott Speedman e Tony Curran, sobre a vampira Selene e seu namorado mutante (EUA, 2006, fone 0800-70-9011); e Os Queridinhos da América, de Joe Roth, com Julia Roberts, John Cusack, Catherine Zeta-Jones, Billy Crystal, Stanley Tucci e Christopher Walken, sobre assessora de imprensa que se envolve com o ex de famosa estrela; o casal está se separando, o estúdio quer esconder o fato e a situação complica-se (EUA, 2001, fone 0800-70-9012).

TV Paga

Jezebel

14 H NO TCM

(Jezebel). EUA, 1938. Direção de William Wyler, com Bette Davis, Henry Fonda, George Trent, Fay Bainter.

Bette Davis e Fay Bainter ganharam Oscars - de atriz e coadjuvante - por este suntuoso melodrama que não deixa de ser a resposta da Warner (e do diretor Wyler) a ... E o Vento Levou. Bette faz sulista temperamental que destrói sua vida ao ir de vermelho a um baile em que moças comportadas deveriam vestir-se de branco. Mas ela tem a chance de se redimir, numa cena memorável. Um filmaço. Reprise, preto e branco, 103 min.

O Show Deve Continuar

1H45 NO TCM

(All That Jazz). 1980. Direção de Bob Fosse, com Roy Scheider, Jessica Lange, Ann Reiking, Cliff Gorman, Sandahl Bergman, John Lithgow.

Todas as críticas negativas que Rob Marshall recebeu por seu maravilhoso Nine poderiam muito bem ser aplicadas ao Oito e Meio de Bob Fosse, que já havia estreado com Charity, Meu Amor, a versão musical de outro filme de Federico Fellini, As Noites de Cabíria. O começo, com o número On Broadway, é realmente espetacular e a ideia de um musical sobre a morte não deixa de ser audaciosa. O problema é que o diretor e coreógrafo Fosse se projeta no personagem de Roy Scheider, fingindo que está sendo crítico com os aspectos mais negativos de sua personalidade, quando na verdade é autoindulgente (até demais). O filme dividiu a Palma de Ouro com Kagemusha - A Sombra do Samurai, de Akira Kurosawa (que é melhor). Reprise, colorido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.