Filmes inéditos de Lévi-Strauss são exibidos em SP

Três filmes inéditos realizados pelo antropólogo francês Claude Lévi-Strauss na década de 30, no Mato Grosso, serão exibidos integralmente pela primeira vez esta semana no País. Trata-se de Cerimônias Fúnebres numa Aldeia Bororo, Nalike 1 e Nalike 2. Eles integram a exposição Acervo de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade - 1935-1938, a partir de amanhã no Centro Cultural São Paulo (CCSP).Lévi-Strauss, sob patrocínio do governo francês e do Departamento de Cultura de São Paulo (na época encabeçado por Mário de Andrade) foi ao Mato Grosso atrás de registros da cultura indígena, em especial a bororo, a nambiquara, a cadiueu e a tupi-cavaíba. Seus livros sobre o tema ficaram famosos, como Tristes Trópicos (1955) e, mais recentemente, Saudades do Brasil. Trouxe de lá cerca de 3 mil negativos de fotos, realizadas com uma câmera Leica.Mas também fez filmes. "Na minha primeira expedição, também levei uma câmera 8 mm, mas me decepcionei imediatamente com o cinema", disse Lévi-Strauss, em 1995, a Antoine de Gaudemar, do jornal francês Libération. "Filmar mobilizava toda minha energia e, quando eu filmava, deixava de olhar", contou. "Tanto que fiz apenas pedaços de filmes, que deixei no Brasil quando fui embora", afirmou o antropólogo.Lévi-Strauss disse que chegou a rever os filmes no Centro Georges Pompidou, em Paris, quando eles foram encontrados 20 anos atrás. Mas não se convenceu de sua qualidade. "Não fiquei mais convencido do que ficara 60 anos atrás", afirmou. "Trata-se de fragmentos pobres, sem qualquer interesse".Segundo o sociólogo José Eduardo Azevedo, organizador da exposição, apenas alguns trechos dos filmes de Lévi-Strauss já foram mostrados ao público, em programas da TV Cultura, entre 1993 e 1994. São filmes mudos, sem nenhuma sonorização, e ilustram a riqueza do acervo da era Mário de Andrade na cultura brasileira.Claude Lévi-Strauss fez os filmes que estarão na mostra quando esteve em Mato Grosso acompanhado de sua mulher, Dina, do historiador Fernand Braudel, do geógrafo Pierre Monbeig e do filósofo Jean Maugüé.A exposição no Centro Cultural culminará com a publicação do Catálogo Geral do Acervo, no dia 8 de novembro. Serão expostos também fotografias e objetos (boa parte inéditos) instrumentos musicais, ferramentas, painéis e também textos da missão folclórica de Mário de Andrade (1893-1945), que percorreu o nordeste brasileiro registrando manifestações culturais.O acervo é impressionante: possui 17.559 documentos textuais, 19 títulos de filmes, fotografias, objetos etnográficos e outros itens. Somente o catálogo desse acervo possui 304 páginas e demorou três anos para ser concluído."A função do catálogo é sistematizar o acervo e disponibilizar suas informações ao público", diz Azevedo. Segundo ele, há 10 anos o Centro Cultural, a Secretaria Municipal de Cultura e o Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo vêm trabalhando na divulgação do acervo.Em 1997, o CCSP apresentou projeto à Fundação Vitae para o custeio do restauro de cerca de mil objetos do acervo Mário de Andrade. A iniciativa foi aprovada e a fundação passou a custear parte da recuperação do material, o que incluiu a telecinagem de cinco filmes e a transcrição das cadernetas de Luís Saia, um dos integrantes da missão folclórica. "Foi graças a esse patrocínio que conseguimos um salto qualitativo na preservação", afirmou o sociólogo e curador desta exposição.Camargo Guarnieri - Além dos filmes de Claude Lévi-Strauss, outra atração da exposição é a coleção de Camargo Guarnieri. O maestro reuniu, em 1937, por ocasião do 2.º Congresso Afro-Brasileiro, anotações de melodias populares e cantos do candomblé baiano.Também estará sendo reapresentado o CD Collection Missão de Pesquisas Folclóricas, compilado pela Biblioteca do Congresso americano, em Washington, e lançado em 1997. Reúne 23 músicas da Discoteca Oneyda Alvarenga, outra parte do acervo do CCSP. A musicóloga Oneyda Alvarenga era chefe da Discoteca Pública Municipal em 1935, quando recolheu melodias em Varginha, sul de Minas Gerais, Mogi das Cruzes e Santa Isabel (SP), material incorporado ao acervo geral.Em 1998, quando se comemoraram os 60 anos da missão folclórica, o Centro Cultural São Paulo concluiu o trabalho de remasterização de gravações musicais da expedição. Elas foram feitas diretamente em disco de acetato, com base em alumínio, e estão registradas em 168 discos de 78 rotações. São dezenas de gêneros registrados, como o catimbó, tambor-de-mina, tambor de criolo, xangô e babassuê.Acervo de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade - 1935-1938. De amanhã a 8 de novembro. Terça a domingo, das 9 horas às 22 horas. Piso Caio Graco. Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000, tel. 3277-3611).

Agencia Estado,

18 de outubro de 2000 | 17h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.