Filme ´Os Simpsons´ começa invasão pelos supermercados

Antes da estréia do longa, produtos até então ´ficctícios´ chegam a supermercados

Agencia Estado

07 de julho de 2006 | 16h52

A chegada de Os Simpsons às tela de cinemas dos Estados Unidos está prevista para 27 de julho, mas os fãs da série já fazem fila - não nas portas dos cinemas, mas nas lojas da rede de supermercados 7-Eleven.A estratégia dos estúdios foi uma promoção ao contrário. Em vez de incluir no desenho animado o "merchandising" de produtos, o filme se promove em cereais, refrigerantes e outros produtos tirados da ficção.Os cereais Frosted KrustyO´s e os refrigerantes Buzz, produtos que só existiam até então na vida da família Simpson, são alguns dos produtos de venda exclusiva nas lojas 7-Eleven. Doze lojas em todo o país mudaram sua fachada e até seu nome, que momentaneamente passou a ser "Kwik-E-Mart", em homenagem ao mercado que aparece na série de televisão.´Evento cultural´ "Queríamos garantir que o filme se destaque como um verdadeiro evento cultural", disse em comunicado Lisa Licht, vice-presidente de promoção dos estúdios Fox, produtores do longa-metragem e da série.Na promoção não falta humor. Afinal, o Kwik-E-Mart é uma paródia da rede 7-Eleven. O estereótipo do gerente indiano é representado, no desenho animado, pelo personagem Apu.A rede de lojas entrou "de cabeça" na promoção, assumindo todas as despesas da campanha que desde domingo enche as suas lojas.Brincadeiras Outros cartazes e decoração mantêm o tom de Os Simpsons . É o caso da caixa de cereais, que mostra uma tigela de café da manhã cheia de vermes, tachinhas e ervas. "Garantia de nutrição de Krusty: garanto que me pagaram para dizer que isto alimenta", diz o slogan.Também há "promoções" como "compre três pelo preço de três" e "compre fruta para se sentir menos mal depois do cachorro-quente picante".O único produto que não foi posto à venda é a cerveja Duff, que Homer Simpson bebe sem parar. Apesar da popularidade do produto fictício, tanto a Fox quanto a rede de supermercados preferiram se limitar a uma promoção considerada "divertidamente responsável".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.