Filme de Turturro terá Woody Allen como ator

Fazia tempo que Woody Allen, o ator, não era dirigido por outra pessoa que não ele mesmo como diretor. A última vez foi em 2000, na comédia Juntando os Pedaços, de Alfonso Arau. Mas em dezembro, quando começa o outono no Hemisfério norte, ele voltará aos sets para viver um cafetão no longa-metragem chamado Fading Gigolo. A ideia é de John Turturro, que além de roteirizar e dirigir, vai viver o prostituto agenciado por Allen.

O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2012 | 03h12

"Será uma comédia, mas tenra e doce", explicou Turturro, durante uma pausa enquanto vendia a sua ideia. O anúncio foi feito durante o 37.º Festival de Cinema de Toronto, que terminou na semana passada.

No filme, a dupla de personagens decide ingressar no mercado da prostituição em Nova York, levantando suspeitas da comunidade judaica onde vivem. Completam o elenco Sharon Stone, que será uma dermatologista que contrata Turturro, e a francesa Vanessa Paradis, uma viúva judia que também está interessada nos serviços oferecidos pela dupla.

Mais excêntrico que o roteiro é a história de bastidor que uniu a dupla. Certo dia, Turturro acordou com a ideia de viver um gigolô. Ele então contou a seu barbeiro, que é o mesmo de Allen. O diretor de Para Roma com Amor ficou sabendo, gostou e pediu para fazer o papel de cafetão.

Turturro disse que decidiu fazer o filme porque, além de gostar da ideia, deseja com ele contribuir para o cânone do cinema: "A comédia de prostituição é um gênero pouco visto, e talvez exceto por Perdidos na Noite, somente as mulheres aparecem como prostitutas. Por que não homens?". / LA TIMES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.