Filme de Leon Hirszman está disponível em DVD

'A Falecida' foi o primeiro filme não só de Fernanda Montenegro, mas também o longa inaugural da carreira do diretor

ROBERTA PENNAFORT - O Estado de S.Paulo,

28 de setembro de 2012 | 03h11

Fernanda Montenegro não vai à exibição de A Dama do Estácio no Festival do Rio, pois está no interior do Rio Grande do Sul gravando um especial da TV Globo. Nelson Xavier - Timbira, o vendedor de caixões que se casa com a prostituta barata - e Joel Barcellos - seu companheiro de trabalho - são presenças aguardadas.

Os dois também eram do elenco do filme de Leon Hirszman. Eduardo Ades chegou até eles depois de acertar com Fernanda, o que, acredita, foi determinante para que participassem.

A Falecida foi o primeiro filme não só de Fernanda, mas também o longa inaugural da carreira de Leon Hirszman (1937-1987), então com 27 anos (até 1965 ele tinha feito apenas curtas e assistências de direção).

Restaurado, o filme, hoje um clássico disponível em DVD, integrou uma mostra no Instituto Moreira Salles, onde Ades trabalhava. O contato com Fernanda se deu quando ela foi ao centro cultural, no Rio, para prestigiar o evento.

A peça de Nelson Rodrigues, que estreou 1953, teve elenco encabeçado por Sônia Oiticica (Zulmira) e Sérgio Cardoso (Tuninho, seu marido, a quem ela, mulher de classe média baixa do subúrbio carioca, adúltera e obsessiva, atormenta com a ideia de ser enterrada com pompa).

A produção foi do filho de Nelson Joffre Rodrigues. Sua ideia inicial era adaptar para o cinema Senhora dos Afogados (1947), e entregá-lo a Glauber Rocha, na época já diretor de Barravento e Deus e o Diabo na Terra do Sol.

Mas Glauber não quis trabalhar com o dramaturgo identificado com a direita, e, por conta dessas diferenças políticas, o projeto mudou. O roteiro ficou com Hirszman e Eduardo Coutinho; a música, com Radamés Gnatalli. Fernanda e o filme receberam prêmios no Rio, em São Paulo e Brasília.

Tudo o que sabemos sobre:
Leon Hirszman

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.