Filho do cantor Wando é condenado a dez anos de prisão

A Justiça condenou Wanderley Alves dos Reis Júnior, de 26 anos, filho do cantor Wando, a dez anos e um mês de prisão. O julgamento começou às 13 horas de ontem e durou mais de dez horas. Ele foi acusado de dupla tentativa de homicídio por ter atirado contra dois seguranças, na Barra da Tijuca (zona oeste). Nenhum dos dois homens foi ferido. A defesa recorreu da sentença e o filho de Wando vai aguardar em liberdade por um novo julgamento. A briga entre Júnior e os seguranças ocorreu em 15 de abril de 1999 e ele foi preso em flagrante. O tumulto começou às 5 horas, em uma loja de conveniência, quando o rapaz se negou a pagar por um pão de queijo consumido. O segurança Luís Cláudio Silva, que trabalha na loja, interveio e houve discussão. Revoltado, Júnior foi até uma loja de sucos, de sua propriedade, localizada em frente à loja de conveniências, e voltou com uma pistola calibre nove milímetros. Silva se refugiou na cabine de um condomínio próximo. O vigilante Marcos Espínola Fontes tentou ajudá-lo, mas Júnior atirou contra ele. Fontes revidou e acertou o pé do filho do cantor. Júnior disse à Justiça que conseguiu a pistola com traficantes da favela Cidade de Deus. Em 1998, o réu já havia sido preso em flagrante por porte de drogas e condenado a prestar serviços comunitários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.