Filho de Gore admite culpa por posse de drogas

Albert Arnold Gore 3o, 24 anos, filho do ex-vice-presidente dos EUA Al Gore, se declarou na segunda-feira culpado por posse de drogas, com relação ao incidente no qual foi detido, neste mês, dirigindo a cerca de 160 quilômetros por hora. Numa rápida audiência em Laguna Niguel, Califórnia, Gore 3o aceitou também participar de um programa de reabilitação de nove meses. Caso ele conclua o programa até 7 de fevereiro, o juiz pode decidir pela retirada das acusações, segundo promotores. Gore foi parado numa rodovia ao sul de Los Angeles a cerca de 160 quilômetros por hora na madrugada de 4 de julho, data nacional dos EUA. Os promotores dizem que os agentes que vasculharam o carro encontraram uma pequena quantidade de maconha, além de medicamentos controlados, como Valium, Xanax, Vicodin, Adderall e Soma Para consolo de seu pai, que agora é um influente ativista contra o aquecimento global, Gore 3o dirigia um veículo híbrido, um Toyota Prius, considerado "ambientalmente correto". Além da multa de trânsito, o rapaz foi indiciado várias vezes por crimes e contravenções relativas ao porte de maconha e de remédios sem receita. Caçula e único filho homem do ex-candidato democrata a presidente em 2000, Gore 3o já teve outros atritos com a lei. Em 2003, foi preso por porte de maconha. No ano anterior, havia sido detido sob suspeita de dirigir alcoolizado. Em 1989, aos 6 anos, Gore 3o quase morreu atropelado, tendo de se submeter a uma complicada cirurgia e a uma longa fisioterapia. Em 2005, formou-se por Harvard. (Por Dan Whitcomb)

REUTERS

30 Julho 2007 | 19h44

Mais conteúdo sobre:
MUNDO GENTE GORE FILHOCULPADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.