Filha do Zé do Caixão é a musa da Sexta-Feira 13

Criada sob as asas e as unhas quilométricas do Zé do Caixão, ela descobriu muito tarde que não era exatamente um ser humano normal. Não podia ver sangue que já começava a salivar. Daí, acabou redigindo um texto que serviu de base para um anteprojeto de lei, que acabou virando lei. Resultado: LizVamp, filha do Zé do Caixão, virou a musa do Dia dos Vampiros, que a comunidade paulistana celebra hoje pela primeira vez (será comemorado todo ano, todo dia 13 de agosto). Não é brincadeira: o Dia dos Vampiros acaba de entrar no calendário oficial da cidade, em projeto do vereador José Laurindo (PT). A inspiradora é a filha do cineasta José Mojica Marins, o Zé do Caixão, e o objetivo não é - como o de Nosferatu, de Herzog - espalhar ratos e zumbis pela cidade, mas fazer um grande mutirão para doar sangue. LizVamp e seu pai estarão hoje sugestivamente na Fundação Pró-Sangue, das 9 horas ao meio-dia, autografando o gibi A Origem da Filha do Zé do Caixão (Editora Impacto Quadrinhos, R$ 13), que apresenta o personagem de Mariliz Marins, nome real da criatura. Aos 32 anos, Mariliz não é exatamente uma novata nas artes das trevas. Desde garota participa das performances e produções do pai. Ex-modelo, Liz estudou Comunicação na Fiam e escreve também poemas - é autora de Por um Triz e co-autora de Crônicas de Terror do Zé do Caixão. Mas agora, seu personagem vai sair finalmente do castelo macabro do pai e ganhar seus próprios caninos. Além do gibi que está sendo lançado, ela capta recursos para filmar um longa-metragem com a personagem, em 35 mm ou em formato digital, o que der. "Todo mundo acha que é fácil para mim, por causa da fama do meu pai. Não é fácil nem para ele, quanto mais pra mim. A filha tem que mostrar a que veio e o pessoal estará sempre cobrando". Liz Vamp, é mezzo vampira mezzo gente como a gente. "Não tem problemas quanto a alho e crucifixos. O único conflito é que ela ainda tem sede de sangue e tenta domar seus instintos". É uma gostosona clássica como Vampirella? "É sensual, mas não é uma gostosona. Vejo os vampiros como seres com muita sensualidade. Não precisa nem ser bonito. Você vê o Drácula do cinema, o Christopher Lee, por exemplo. Ele não é bonito, mas tem sex appeal". O Dia dos Vampiros, do qual Liz é madrinha, tem como justificativa a doação de sangue, mas, segundo ela, também tem outras bandeiras. "Uma delas é a luta contra os rótulos e preconceitos de qualquer espécie. Não é só porque o cara se veste de preto e corta o cabelo esquisito que ele é do mal. Tem gente toda de branquinho, super-família, que é muito traiçoeira". Dia dos Vampiros - Liz Vamp ? A Origem da Filha do Zé do Caixão, de Mariliz Marins (Impacto Quadrinhos, 44 páginas). Fundação Pró-Sangue de São Paulo/Posto Clínicas. Av. Dr. Enéas Carvalho Aguiar, 155, 1.º andar. Doação das 7 às 19 horas. A autora estará presente das 9 às 12 horas. Informações no Pró-Sangue 0800-550300 e e nos sites www.prosangue.sp.gov.br e www.vampira.com.br

Agencia Estado,

13 de agosto de 2004 | 10h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.