Filha de Jagger faz campanha para grife brasileira

Os laços de Mick Jagger com o Brasil ficam mais fortes. Elizabeth Jagger, a filha de 17 anos do líder dos Rolling Stones r de Jerry Hall, deve ficar conhecida no País nos próximos meses por estrelar a campanha da marca de roupas Spezzato. A jovem, que resolveu seguir a carreira de modelo contra a vontade do pai, já tem salário de estrela e vai ganhar destaque na próxima edição da Vogue americana. Conhecida como Lizzie, ela posou pela primeira vez aos 14 anos ao lado da mãe, para uma revista inglesa. Nos últimos anos, ela trabalhou para marcas como Tommy Hilfiger, Cynthia Rowley e Betsey Johnson e, de acordo com o jornal New York Post, já estaria recebendo salários de US$ 10 mil por dia. Com lábios que lembram os do pai e os olhos da mãe, ela tem trabalhado muito nos últimos meses. Claro que o sobrenome ajuda, mas a menina também conquista por conta da atitude. Na sessão de fotos para a Spezzato, inspirada no mundo do rock, ela parecia se sentir em casa. Com styling de roqueira do início dos anos 80, ela se divertia mais do que qualquer um na equipe. Mas sua paixão pela música tem tudo para começar a falar mais alto em breve: Lizzie já participou como cantora de apoio de alguns shows dos Rolling Stones nos Estados Unidos e acabou fazendo, ao lado do pai, alguns vocais em uma música do U2 que acabou sendo cortada do disco All That You Can´t Leave Behind. A única coisa que ela não quer fazer é dar entrevistas. "Todo mundo só quer saber como foi crescer em uma família de pais famosos", diz ela na próxima edição da Vogue. "Então resolvi que vou ser como a Jackie O e não falar mais com a imprensa." Lizzie respondeu algumas perguntas para a imprensa brasileira durante a sessão de fotos em Nova York, mas nunca sobre sua vida pessoal. "Eu não falo sobre minha família", é a resposta-padrão para perguntas que envolvam o nome de Mick, Jerry e, principalmente, Luciana Gimenez e Lucas Jagger, seu meio-irmão, que ela não conhece. Nos próximos meses, ela vai chamar atenção no Brasil, já que deve aparecer em outdoors, catálogos e propagandas em revistas, graças à campanha da Spezzato, concebida pela Blush Branding. Mas ela não deve aparecer no País tão cedo: nem o pai nem a agência de modelos querem que a menina vire alvo de especulação sobre a "ligação" da família com o Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.