Filarmônica das Américas toca Pixinguinha em estréia em NY

Saxofonista cubano Paquito D´Rivera interpreta música do compositor brasileiro

Agencia Estado

14 Junho 2007 | 17h56

A Orquestra Filarmônica das Américas recebeu elogios após sua estréia, na noite de terça-feira, 12, no palco principal do complexo Jazz at Lincoln Center, em Nova York. O concerto destacou a música latino-americana com músicas de compositores como Pixinguinha. A apresentação conduzida pela diretora artística Alondra de la Parra misturou o clássico e o contemporâneo. O saxofonista cubano Paquito D´Rivera e o jovem compositor mexicano Martín Capella foram os convidados especiais. A primeira parte do repertório incluiu a Introdução Musical Cubana de George Gershwin, e duas peças de Rivera, Fantasias Mesiánicas e Memórias, dedicada ao músico cubano-americano Mario Bauza. O público aplaudiu de pé e Rivera voltou ao palco para interpretar, junto a um trio de jazz, uma composição de Pixinguinha. Em seguida, Parra retomou a batuta para a esperada estréia de Ixbalanqué, uma obra do jovem compositor mexicano Martín Capella, que ganhou em abril a primeira Competição de Jovens Compositores da orquestra. A composição éá baseada na lenda de Ixbalanqué, um dos heróis mitológicos do livro maia de Popol Vuh, e narra como ele e seu irmão gêmeo, Hunahpú, recorrem à magia para acabar com os seres malignos do mundo subterrâneo. A segunda e última parte do repertório incluiu ainda Sensemayá, do compositor mexicano Silvestre Revoltas, e a Suíte do Balé Estancia Opus 8.ª, de Alberto Ginastera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.