FHC homenageia Sérgio Buarque

O presidente Fernando Henrique Cardoso homenageou nesta quinta-feira os 100 anos de nascimento do historiador Sérgio Buarque de Holanda, morto em 1982, aos 79 anos. Em solenidade no Itamaraty, ele não economizou elogios para falar do ex-mestre, autor do livro Raízes do Brasil e um dos principais estudiosos da formação do Brasil.Estavam presentes dois dos sete filhos do historiador: Sérgio Buarque de Holanda Filho e Maria do Carmo, além da neta Ruth, de 28 anos.Segundo a irmã Maria do Carmo, o cantor e compositor Chico Buarque não pôde comparecer porque está fora do Brasil.Fernando Henrique disse que Sérgio Buarque de Holanda, além do grande historiador que foi, era capaz de fazer análises profundas com um texto claro e direto. Ao contrário, salientou o presidente, de sociólogos como ele próprio que costumam ser "maus escritores e muito chatos".Sérgio Buarque de Holanda Filho contou que o pai era uma pessoa vaidosa, a exemplo de Fernando Henrique, e que ficaria muito feliz em receber a homenagem. Fernando Henrique mencionou a coragem intelectual de Sérgio Buarque, que ajudou a fundar o PT, e sua simplicidade. "O Sérgio Buarque tomava posição, tinha partido, não só como teve o PT num dado momento, mas tinha partido no decorrer de toda a sua história. Ele tinha lado. Sua neutralidade acadêmica não o impedia de ter valores. E, portanto, de fazer as suas opções explicitamente", disse Fernando Henrique. "Ele nunca aceitou ser estátua: sempre continuou sendo um ser humano, com suas dúvidas, com suas afeições, com seus valores, com suas opções, com sua integridade."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.