Festival latino

Dudamel, Gil e Chucho Valdés participam de programação no Carnegie

DANIEL J. WAKIN , THE NEW YORK TIMES, O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2012 | 03h09

Uma orquestra árabe-israelense, um festival latino-americano e a formação principal do programa musical da Venezuela voltado para ajudar os desprivilegiados serão presenças destacadas na próxima temporada do Carnegie Hall, exemplos da crescente necessidade de tornar a música clássica socialmente relevante.

O Carnegie anunciou a programação para a sua temporada 2012-13 na quinta-feira. Depois de se concentrar em seu 120.º aniversário na atual temporada, ele retornará à sua prática recente de realizar festivais com um mês de duração, neste caso Voices of Latin America (Vozes da América Latina).

Este terá o cantor e violonista brasileiro Gilberto Gil; o especialista em jazz afro-cubano Chucho Valdés; o compositor Osvaldo Golijov, um importante planejador do festival e compositor residente na próxima temporada do Carnegie; o maestro Gustavo Dudamel e a Orquestra Sinfônica Simón Bolívar da Venezuela.

A orquestra é a vitrine de El Sistema, a rede de escolas de música e orquestras da Venezuela criada para promover jovens carentes.

Antes conhecida como Orquestra Jovem Simón Bolívar, o conjunto progrediu até se tornar uma formação adulta inteiramente profissional, que é considerada uma das melhores da América Latina.

O maestro Daniel Barenboim e a West-Eastern Divan Orchestra, que ele ajudou a fundar em 1999, executarão todas as nove sinfonias de Beethoven em quatro concertos. A orquestra combina músicos de países árabes e de Israel.

Essa programação tem a ver com a maneira "como a música tem tido realmente um papel na mudança da sociedade e em proporcionar uma vida melhor às pessoas", disse Clive Gillinson, diretor executivo e artístico do Carnegie.

A soprano Renée Fleming fará quatro concertos como a organizadora de uma série Carnegie Perspectives. Ela participará de um recital com a mezzo-soprano Susan Graham, cantará o papel de Blanche Dubois em uma versão semiencenada da ópera A Streetcar Named Desire, de André Previn, apresentará um trabalho novo de Anders Hillborg com a New York Philharmonic, e também uma noite chamada Vienna: Window to Modernity.

Em outros destaques, Harry Bicket conduzirá o English Concert numa versão para concerto de Radamisto, a primeira de três performances anuais de óperas de Haendel por Bicket e essa orquestra. E as cantoras Stephanie Blythe e Elina Garanca e o pianista Daniil Trifonov farão estreias no Carnegie.

O maestro Yannick Nézet-Séguin também realiza sua estreia no Carnegie, conduzindo a Philadelphia Orchestra em três concertos em sua primeira temporada como diretor musical dessa orquestra em dificuldade financeira.

Em outras notícias de programação, o festival orquestral Spring for Music, com uma semana de duração, que se desenrola no Carnegie Hall, além de preencher o cronograma para maio de 2013, anunciou sua escalação para 2014, que inclui vários conjuntos importantes: a New York Philharmonic, a Seattle Symphony, a Rochester Philharmonic, a Winnipeg Symphony, a Cincinnati Symphony e a Pittsburgh Symphony.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.