Festival infantil traz 100 filmes de 20 países

Evento homenageia Japão e Holanda e promove a pré-estreia da Professora Muito Maluquinha

, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2011 | 00h00

Rio e Niterói já viram a 9.ª edição do Festival de Cinema Infantil. Ela começou dia 26 em Brasília e hoje desembarca em São Paulo, onde prossegue até dia 11, simultaneamente com Campinas. No total, o público de 10 cidades brasileiras poderá assistir, na rede Cinemark, a mais de 100 filmes de 20 países. O evento realizado por Carla Camurati e Carla Esmeralda resgata pérolas como Ponyo - Uma Amizade Que Veio do Mar, de Hayao Miyazaki, visto por apenas 20 mil espectadores no País.

Ponyo integra uma seção intitulada A Arte do Cinema Japonês para Crianças. Outra homenagem, ou seção, privilegia o cinema para crianças da Holanda, no Ano da Holanda no Brasil. O conceito do festival é abrir janelas para a exibição de filmes diferenciados daqueles que chegam ao Brasil nas asas da Disney ou da Pixar. Nada contra O Rei Leão, de volta ao cartaz, muito pelo contrário. Mas, para ficarmos apenas na animação, existe um outro imaginário - e um outro tipo de visual - que só fará bem aos baixinhos e baixinhas conhecerem.

O cinema brasileiro participa com uma atração muito especial - a pré-estreia do longa Uma Professora Muito Maluquinha, de André Alves Pinto e César Rodrigues, produção de Diler Trindade com personagens de Ziraldo. O programa internacional anuncia filmes da Dinamarca (Meu Amigo Storm, de Giacomo Campeotto), da Noruega (Poli, o Fusquinha de Polícia, de Rasmus Silvertsen) e da Alemanha (Os Três Ladrões, de Hayo Freitag).

Mas o Festival Infantil procura ir além de simplesmente exibir filmes. Entre os seus objetivos, além da formação de plateias, está o desenvolvimento de vocações. A sessão Dublagem ao Vivo apresenta oito filmes que proporcionam a chance de conhecer o trabalho dos dubladores. Ponyo, para voltar à animação de Miyazaki - e o artista japonês é um dos ídolos do próprio John Lasseter, da Pixar -, será o objeto de estudo na sessão chamada Pequeno Jornalista. A ideia é desenvolver uma oficina para que as crianças analisem o filme, e escrevam sobre ele.

Para pais e educadores, a terceira edição do fórum Pensar a Criança vai fazer o que anuncia o título. Entre os convidados que vêm debater a infância como protagonista da narrativa de cinema está o roteirista Gregoire Vigneron, de um filme francês que caiu no gosto das crianças (e dos adultos) brasileiros - O Pequeno Nicolau, de Laurent Tirard. Ainda no fórum, um pitching com oito projetos nacionais vai escolher qual será o representante do Brasil no próximo BUFF - Financial Forum, que se realizará na Suécia. A escritora Talita Rebouças, que comemora a marca de um milhão de livros vendidos no segmento infanto-juvenil, debaterá o longa Desenrola, de Rosane Svartman, na seção Novos Jovens.

FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA INFANTIL

Até 11/9. R$ 5. Programação completa: www.festivaldecinemainfantil.com.br/2011/

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.