Festival de Veneza prepara-se para anunciar grande vencedor

Hollywood esquenta as máquinaspara o Oscar de fevereiro, mas pode ser que o júri do Festivalde Veneza olhe para outras direções aos escolher, entre os 23filmes concorrentes, o vencedor do Leão de Ouro no sábado. Seis filmes norte-americanos participam da competição--duas produções sobre a guerra no Iraque, uma sobre acorrupção em Wall Street, uma refilmagem da história de JesseJames, uma biografia de Bob Dylan na qual a atriz CateBlanchett interpreta o cantor, além de uma comédia. A inclusão desses filmes na competição garantiu um grandeafluxo de estrelas no tapete vermelho, algo crucial para osucesso de qualquer festival. Brad Pitt compareceu a Veneza ao lado de Angelina Jolie edos filhos do casal. E George Clooney, Woody Allen, JohnnyDepp, Charlize Theron e Keira Knightley garantiram presença,acenando para os fãs em polvorosa. Caso o júri do festival decida-se por uma premiação desabor mais político, o chocante "Redacted", de Brian de Palma,pode ser um forte concorrente, afirmaram críticos de cinema. Aprodução reconstrói a história de uma iraquiana de 14 anos deidade estuprada e assassinada por soldados norte-americanos. Mas o filme dividiu opiniões, ao passo que o mais delicado"In the Valley of Elah", de Paul Haggis, conquistou umaaprovação generalizada. Haggis conta a história de um soldadonorte-americano assassinado após regressar do Iraque. Parte daforça do filme deve-se à grande atuação de Tommy Lee Jones, nopapel principal. "Acho que o filme de Brian de Palma é mais original einovador, também por causa da forma como utiliza as mídias maisrecentes. Já o de Haggis é mais tradicional", disse a críticade cinema Paola Jacobbi, em Veneza para a edição italiana darevista Vanity Fair. "O único problema com o filme de De Palma é que ele pregapara os convertidos, é ideológico demais." Jay Weissberg, da revista de cinema Variety, disse que odiretor de "Redacted" "desfere um golpe de marreta contranossas cabeças." "A gente se sente manipulado." Se o júri de Veneza decidir-se por privilegiar a artecinematográfica mais pura ao invés das produções de teorpolítico, então o favorito é "La Graine e le Mulet", dirigidopor Abdellatif Kechiche, que nasceu na Tunísia. O filme conta a história de uma família árabe no sul daFrança reunida em torno do antigo sonho do pai de possuir seupróprio restaurante. Trata-se de um mergulho no que o diretordescreve como "o direito dos imigrantes de serem diferentes."

MIKE COLLETT-WHITE E SILVIA ALOISI, REUTERS

07 de setembro de 2007 | 19h21

Tudo o que sabemos sobre:
CINEMAVENEZA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.