Festival de poesia: trégua em Medellín

Com a participação de renomados escritores de 27 países começa este mês em Medellín o 10.º Festival Internacional de Poesia. "O festival é uma das maiores e simbólicas reuniões poéticas de nosso tempo, tendo em vista o conflito guerrilheiro que ocorre em território colombiano", disse o diretor do encontro Fernando Rendón.Durante duas semanas serão lidos centenas de poemas dos 76 poetas participantes, não só em Medellín, como em outras dez cidades colombianas. O festival é patrocinado pelo Ministério da Cultura, a prefeitura de Medellín, a Unesco e fundações culturais da Holanda, Suíça e Alemanha.Entre os poetas que confirmaram participação estão o chileno Gonzalo Rojas, considerado um dos grandes poetas vivos do nosso tempo; o brasileiro Thiago de Melo, autor dos Estatutos do Homem, publicado em 30 países e tradutor para o português de pemas de Pablo Neruda, Ernesto Cardenal e Eliseo Diego; o venezuelano Francisco Pérez Perdomo, ganhador do Prêmio Nacional de Literatura de 1980; o uruguaio Saúl Ibargoyen, poeta, jornalista e tradutor radicado no México e que publicou cerca de 50 livros, inclusive uma antologia de poesia latino-americana; o mexicano Homero Aridjis, autor de 28 livros de poesia e prosa, alguns traduzidos em 12 idiomas; o boliviano Pedro Shimose, autor de Quiero escribir pero me sale espuma, de 1972, com o qual obteve o Premio Casa de las Américas. E ainda a guatemalteca Ana María Rodas; a espanhola Ana Bossetti; o argentino Víctor Redondo; o salvadorenho Mario Noel Rodríguez, além de poetas de Cuba, Colômbia, Dinamarca, Alemanha, Itália, Barbados, Canadá, Congo, Equador, Haiti, Finlândia, Israel, Índia, Jamaica, Inglaterra, Marrocos, Nigéria, Holanda, Romênia, Suécia, Estados Unidos, Iugoslávia e Zimbábue.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.