Festival de música atrai 17 mil na Chácara do Jóquei

A música dançante predominou na eclética programação do festival Natura Nós, anteontem na Chácara do Jóquei, em São Paulo. Apesar das atrações internacionais como Snow Patrol e Jamiroquai, quem se destacou foram os brasileiros Cidadão Instigado, Karina Buhr e Móveis Coloniais de Acajú. Ao fim do primeiro dia, o Natura Nós reuniu 17 mil pessoas, com 10 atrações e pouco mais de 9 horas de música nos palcos Azul e Verde.

AE, Agência Estado

18 de outubro de 2010 | 10h33

A primeira atração foi Marcelo Jeneci,que contou com a participação de Tulipa Ruiz. Em seguida, Cidadão Instigado tocou de frente para o Sol das 16h, "queimando a cara", como o líder e guitarrista Fernando Catatau comentou. Catatau depois tocou com a cantora baiana Karina Buhr, e deu tempero ao seu som já contagiante. Ali, Catatau dividiu as guitarras com Edgard Scandurra, ex-Ira!, protagonizando os duelos mais interessantes do dia.

Com 25 minutos de apresentação de Vanessa da Mata, a cantora viu o público começar a fugir para se esconder da chuva. Com isso, ela terminou o show 20 minutos antes, cantando, numa ironia: O que a gente precisa / É tomar um banho de chuva, de "Ai, Ai, Ai". Na Chácara do Jockey, o que era grama e terra virou lama. Na área VIP, quem pagou R$ 500 ficou protegido em área coberta que tinha sofás com revistas, pipoca e minipizza.

Quando o duo francês Air entrou no palco, às 19h, a plateia estava morna. Nem sucessos como "Cherry Blossom Girl" e "How Does it Make You Feel?" animaram o público nos 50 minutos de show. A responsabilidade de agitar a plateia ficou com o animado show do Móveis Coloniais de Acaju, que pôs as pessoas para dançar. Uma das atrações mais esperadas, Snow Patrol foi outra decepção. O som mal equalizado prejudicou a apresentação já morna da banda inglesa. Em certos momentos, a voz do vocalista Gary Lightbody era engolida por uma distorção exageradamente alta da guitarra.

O grande nome da noite foi a banda Jamiroquai. Jay Kay, sempre carismático, subiu ao palco vestindo um cocar de índio americano, mas também foi prejudicado por um sistema de som muito inferior. Intercalando hits, Jay Kay dançou o tempo todo. "Revolution", "Virtual Insanity", e "Cosmic Girl" foram apresentadas entre as novas "Rock Dust Light Star" e "Blue Skies". No bis, o público que esperava Space Cowboy teve que se contentar com Deeper Underground, que encerrou o Natura Nós deixando uma sensação de ''quero mais''.

Crianças - A criançada ganhou seu próprio festival no segundo dia do Natura Nós, na tarde de ontem. Por volta das 12h30, Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra e sua trupe abriram a programação com o projeto Pequeno Cidadão. O repertório foi encerrado com "Bonequinha do Papai" que, com a proibição de bebida alcoólica, ganhou versão de pais da plateia: ''cervejinha, cervejinha pro papai''. Pequeno Cidadão foi seguido por Sandra Peres e Paulo Tatit, do Palavra Cantada. O Pato Fu apresentou seu mais recente disco, "Música de Brinquedo". No palco verde, Adriana Partimpim, alter ego de Adriana Calcanhotto, literalmente emendou sua apresentação com a de Pato Fu, para encerrar às 18h. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
músicafestivalChácara do Jóquei

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.