Festival da peruca reúne drag queens

Um dos mais divertidos eventos ao ar livre de Nova York está de volta neste fim de semana. A 16ª edição do Wigstock, o festival da peruca, que reúne a "comunidade" das drag queens da cidade, vai ser realizada durante toda a tarde de domingo no Pier 54, na beira do Rio Hudson. A festa, que tem shows de dublagem e dança, além de apresentações de nomes da música eletrônica como Kristine W e Barbara Tucker, mais uma vez tem esquema de megaprodução, mas garante o caráter underground graças ao humor "de rua" de Lady Bunny, uma das mais bem sucedidas figuras da noite local.Woodstock - Foi Bunny que, junto com outras drag queens que se apresentavam no clube Pyramid, no East Village, resolveu promover um encontro onde performers mostrariam números variados para um público que também viria à caráter. A primeira edição do Wigstock (o nome é uma brincadeira entre as palavras "wig", peruca, e "woodstock", o lendário festival) aconteceu em 1994, no Tompkins Square Park, com quase nenhuma produção e apenas algumas centenas de curiosos.Desde então o evento tomou proporções gigantescas, migrando para vários outros lugares da cidade, como a Union Square e o Battery Park. O sucesso do Wigstock, é claro, refletiu a explosão club do início dos anos 90, o sucesso das drag queens alguns anos depois (o evento foi um dos trampolins para a carreira de RuPaul, Mistress Formika, Girlina e outras que hoje são procuradas pela indústria de Hollywood) e a chegada da dance music ao mainstream nos Estados Unidos.Em 1995, foi a vez de Wigstock - The Movie, um documentário sobre o evento, lançado pela Warner Bros., com imagens e entrevistas das duas edições anteriores do festival. Na trilha sonora, foram incluídos artistas como Lady Miss Kier, Debbie Harry, Erasure e David Moralez, além de uma série de bandas de drag queens em estilos que iam do rock ao hip hop, passando, é claro, pela electronica.Em suas últimas edições, o Wigstock ganhou patrocínio de marcas "drag-friendly", como a de cosméticos MAC (que usou RuPaul em suas campanhas) e a água mineral Naia (que tem Bunny como rosto oficial), e passou a reunir cerca de 20 mil pessoas. Parte dos lucros dos ingressos é revertido para entidades como o Gay Men´s Health Crisis.Lady Bunny, enquanto isso, faz sucesso como DJ e confirma-se como uma das melhores comediantes saídas da noite nova-iorquina, tendo feito recentemente uma longa temporada do show A Taste of Bunny em um cabaré da cidade. Seu estilo sarcástico, com piadas de humor para lá de negro sobre celebridades, atrai uma fiel legião de fãs.O primeiro Wigstock do milênio vai ter apresentações de nomes como Lypsinka (especialista em dublagens perfeitas de cenas de filmes dos anos 40 e 50, ela tem um ótimo web site, http://www.lypsinka.com), Kevin Aviance (uma espécie de Grace Jones do ano 2000, que já ficou várias vezes no primeiro lugar da parada dance com hits como Rhythm Is My Bitch), Shasta Cola (que fez tanto sucesso no festival do ano passado que foi convidada para encerrar o evento desta vez) e Sister Dimention (figura lendária da noite nos anos 80, que andava sumida da cidade). Uma das atrações divertidas deve ser também o número dos Backdoor Boys, uma versão da "boy band" feita com drag kings (mulheres vestidas como homens).Wigstock - Pier 54, na esquina da 13th Street com a West Side Highway, Meet Market. Informações pelo telefone 212-439-5139 ou no web site http://www.wigstock.nu. No domingo, das 14 horas às 22 horas. US$ 20.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.