Festa para o renovado Lebowski

Lançamento em Nova York de O Grande Lebowski reúne fãs eternos

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2011 | 00h00

O filme O Grande Lebowski se transformou praticamente em uma seita como a dos seguidores de Jornadas nas Estrelas, Senhor dos Anéis e Harry Potter. A diferença é que os fãs não idolatram elfos, magos da Hogwarts ou um doutor do planeta Vulcano. São apenas "dudes", ou fãs do personagem interpretado por Jeff Bridges no filme dos irmãos Coen exibido há treze anos.

Depois de um fracasso na bilheteria quando foi lançado, aos poucos O Grande Lebowski se transformou em uma febre nos anos seguintes e hoje é considerado uma das melhores comédias de sua época. Até uma loja apenas para fãs foi aberta no Greenwich Village, em Nova York. Festivais são organizados a cada dois anos. Na semana passada, milhares de pessoas disputaram para conseguir apenas algumas centenas de ingressos disponíveis para ver um reencontro dos atores do filme em um antigo teatro próximo ao Madison Square Garden, em Manhattan. O evento serviu para o lançamento de uma edição limitada em Blu-Ray do filme e também de um CD com músicas de Jeff Bridges.

Na fila, que dava a volta ao quarteirão, trintões e quarentões se vestiam como os personagens do filme. Alguns de peruca e outros com barba postiça. As mulheres optavam pelas roupas de Julianne Moore, que interpretou Maude Lebowski, filha do "Big Lebowski", representado por David Huddleston. Para quem não viu o filme, este era o milionário homônimo do "Dude Lebowski", de Bridges. "Estava esperando há anos por este momento, de ver todo o elenco reunido", disse um jovem de Nova Jersey.

Os atores chegaram como se fosse a entrega de um prêmio, como o Oscar. Passavam pelos fãs, assinavam alguns autógrafos e posavam para fotos antes de entrar no teatro. Quando Bridges desceu da limusine que o levava, ele foi saudado com um coro de marmanjos gritando "Dude". O ator dançou diante da plateia antes de seguir para falar com os jornalistas de todas as partes do mundo.

"Foi o filme que mais gostei de fazer, algo especial. Mais importante do que quando recebi o Oscar", afirmou Bridges ao chegar à exibição. "Eu me divertia indo para as gravações, era algo diferente, não sei explicar", disse mais tarde, em um bate-papo com os outros atores diante dos fãs.

"As pessoas sempre me param na rua e dizem que o Big Lebowski foi o filme que eles mais gostaram de assistir na vida", afirmou Moore, que chegou em seguida. John Goodman, que interpretou Walter, amigo do "Dude", acrescentou que alguns fãs dizem para ele que "já assistiram, cinco, dez, quinze vezes o filme". "Dá até medo de serem loucos", brincou. Sem falar nos que repetem a frase "Fuck it, Dude, let''s go bowling" (Dane-se, Dude, vamos jogar boliche), acrescentou. "Verdade, sempre que ando na rua preciso aguentar as pessoas repetindo falas do filme", afirmou Steve Buscemi, que interpretou Donny, outro amigo do Dude.

Todos também tentaram explicar como seria a vida dos personagens treze anos depois e não desconsideraram uma parte 2, apesar de ser descartada pelos irmãos Coen. "Nosso filho já estaria na adolescência", brincou Moore, cuja personagem engravida no filme.

O fanatismo é tanto que, durante a exibição do filme, muitos dos presentes diziam em voz alta as frases das conversas surreais nas cenas elaboradas pelos irmãos Coen, que não compareceram. Na versão em Blu-Ray, haverá uma série de funções para permitir que os fanáticos pelo Big Lebowski possam usar seus conhecimentos sobre o filme.

Além de imagens dos bastidores, haverá uma opção do filme em que as falas do Dude e de Walter são interrompidas para que os próprios fãs possam completá-las. A forma destes personagens se expressarem na época da exibição do filme e nos anos posteriores, quando se tornou cult, viraram parte de gírias de toda uma geração. Recentemente, o comediante Jon Stewart, ao entrevistar Barack Obama, o chamou de "Dude". Basicamente, seria uma pessoa relaxada, de bem com a vida, sem se preocupar com escritório, família ou mesmo qualquer outro assunto que não seja uma partida de boliche.

Junto com a versão em Blu-Ray, também será publicado um livro de 28 páginas com uma entrevista com Jeff Dowd, que serviu de inspiração para criação do personagem de Bridges. A palavra "Dude" seria derivada de uma forma equivocada de ler o seu sobrenome "Dowd". Ele estava presente ao evento em Nova York. O jeito realmente lembra o de Lebowski, com os cabelos compridos e um estilo relaxado. Mas falta a barba e o carisma do ator vencedor do Oscar pelo filme Coração Louco. Ao mesmo tempo, o Dude original tem uma história de ativismo político, sendo um dos líderes dos movimentos contra a Guerra do Vietnã. Ele chegou a ser preso por "conspiração" contra o governo nos anos 1970.

Recentemente, Dowd foi tema de um curta-metragem exibido pela rede USA e também em um festival de minidocumentários nas ruas de Nova York. No filme, os documentarista acompanham o verdadeiro Dowd a um festival dos fãs de Lebowski que ocorre bienalmente nos Estados Unidos, reunindo milhares de fãs de diferentes partes do mundo.

Jeff Bridges também aproveitou a reunião dos ex-atores para lançar o seu primeiro CD, que demorou décadas para ser completado. "Com todos os filmes, acabei ficando sem tempo de me concentrar", afirmou, lembrando que sempre "sonhou em cantar", mas acabou se saindo melhor como ator.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.