Festa literária acaba com saldo de 12 mil visitantes

A terceira edição da Festa Literária Internacional de Paraty(Flip), programada para o próximo ano, não deverá crescer, se dependerda vontade de sua idealizadora, a editora e agente literária Liz Calder,criadora da ONG Casa Azul, que organiza o evento. Um sucesso de públicocom boa acolhida na mídia, a festa não deve ser maior que a deste ano(12 mil pessoas visitantes na cidade fluminense) porque, a conselho doescritor Julian Barnes (O Papagaio de Flaubert), Liz Calder concluiuque ?palestras para mais de 500 pessoas não funcionam?. A idealizadora da Flip esclareceu não ter sido sua intenção a detransformar em espetáculo um encontro entre escritores, a despeito dapresença de dois grandes compositores populares brasileiros, ChicoBuarque e Caetano Veloso, ambos igualmente autores de livros. Justificouo convite aos dois músicos pelo papel marcante da dupla no panoramaatual da literatura brasileira. A editora, que tem um faro excepcional para o sucesso, lançou aescritora escocesa J. K. Rowlling, criadora do personagem Harry Potter.Ela não fechou ainda a lista de convidados para o próximo ano, masadiantou alguns nomes que possivelmente vão estar em Paraty em 2005. Osescritores John Irving, Peter Carey e Michael Ondaatje estão nessa listae a ensaísta norte-americana Susan Sontag não foi descartada. A autorade Sob o Signo de Saturno deveria vir este ano, mas ficou doente. A festa que acabou hoje rendeu para a cidade quase R$ 1 milhão. Cercade 8 mil leitos existentes nas duas centenas de pousadas de Paraty foramocupados e todas as casas de veraneio, alugadas. Fora do centro,turistas ficaram hospedados nas redondezas, em Graúna, Trindade ePicinguaba, além de ocupar barcos. O evento mobilizou 410 funcionárioscontratados e 160 voluntários, exigindo um investimento de R$ 3 milhões(R$ 1,9 milhão em patrocínio e R$ 1,1 milhão em parcerias. Num rápido balanço da festa, Liz Calder destacou como ?grandessurpresas? o escritor angolano José Eduardo Agualusa (O Ano em queZumbi tomou o Rio) e a escritora espanhola Rosa Montero (A Louca daCasa). As palestras do irlandês Colm Tóibín e do professor deLiteratura da USP José Miguel Wisnik foram consideradas por ela ?maravilhosas,por apresentar idéias que mudam a vida da gente?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.