Fernando Sabino é tema de livro

O escritor Fernando Sabino, autor do romance que marcou época O Encontro Marcado e de crônicas como O Homem Nu afastou-se quase completamente do convívio social e da mídia após publicar o livro Zélia, uma Paixão, em 1991, sobre a ministra da economia do governo de Fernando Collor de Melo, responsável pelo confisco da caderneta de poupança - causa da sua impopularidade e da de quem se aproximou dela, como o escritor.Além disso, Sabino teve de enfrentar perdas difíceis, como a de seus amigos inseparáveis, Otto Lara Resende, Paulo Mendes Campos e Hélio Pellegrino e o rompimento de um casamento de 19 anos com Lygia Marina. Tanto, que suas caminhadas pelo calçadão de Ipanema desviaram-se para Copacabana e vive rodeado por secretárias eletrônicas, gravadas com uma voz que não é a sua. São poucos os que ainda freqüentam o mítico apartamento na Rua Canning.Nas páginas de Fernando Sabino - Reencontro, novo lançamento da série Perfis do Rio, Arnaldo Bloch faz de um encontro com o escritor numa livraria em Ipanema o ponto de partida para um mergulho nos mistérios que cercam o escritor, misturando memorialismo, reportagem, registro testemunhal, psicologia e drama.O jornalista e escritor Arnaldo Bloch é carioca e tem 35 anos. Formado pela ECO, da UFRJ, começou sua carreira como repórter e redator na revista Manchete, da qual foi correspondente em Paris. Trabalha desde 93 no jornal O Globo. Publicou os romances Amanhã a Loucura (Nova Fronteira, 1998) e Talk-show (Companhia das Letras, 2000).Fernando Sabino - Reencontro, de Arnaldo Bloch, Editora Relume Dumará., 132 págs., R$15,00. Lançamento dia 25, a partir das 20 horas, no Espaço Museu do Universo / Novo Planetário (Rua Vice-governdor Rubens Berardo, 100, Gávea)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.