Fernando de Almeida é enterrado no Rio

O delegado Leonílson Ribeiro, que investiga o assassinato do ator Fernando de Almeida, de 28 anos, disse ontem que o rapaz estava embriagado e ?arrumou confusão? ao mexer com uma menina de apenas 14 anos, na?Festa do Experimento?, em Realengo, zona oeste. Almeida morreu com dois tiros na cabeça, na madrugada de domingo,quando esperava um ônibus para voltar para casa, na Avenida Brasil. O corpo do ator foi enterrado hoje à tarde no Cemitério deIrajá, zona norte.?A menina (cujo nome não foi revelado) também tinha bebido muito. Ela vomitou no banheiro e foi socorrida por uma amiga. OFernando, já embriagado, disse que ela estava com o demônio no corpo e começou a bater nela para reanimá-la. Isso causourevolta em algumas pessoas?, informou o delegado, que ouviu hoje a amiga da menina, também com 14 anos. A polícia nãotinha, até hoje à noite, nenhuma pista sobre os autores do crime - dois homens em uma moto, segundo uma testemunha, queainda não prestou depoimento.Segundo o delegado, Fernando teria seguido as duas meninas até o hospital Albert Schweitzer, no mesmo bairro, para onde ajovem, bêbada, foi levada. ?Ali, ele ainda ficou por cima dela e apalpou seus seios. Foi contido pelos seguranças e tentou voltar à festa, mas não consegiu entrar e resolveu voltar para casa.? Para o delegado, ocrime deve ter sido motivado por pessoas que não gostaram da atitude do ator na festa. Amanhã, ele ouvirá novos depoimentos.Enterro - O corpo do ator foi enterrado às 12 horas desta quarta-feira. Cerca de 200 pessoas - entre familiares, fãs e companheiros de trabalho -foram prestar a última homenagem. Como o corpo do ator já estava em estado de decomposição, a família resolveu não fazervelório, o que provocou tumulto, durante o cortejo, pois muitas pessoas tentavam chegar próximo ao caixão, de onde só se via orosto dele por uma pequena abertura.?Estamos muito tristes. Meu pai pediu para que a gente não demorasse a enterrá-lo?, disse Marcelo de Almeida, um dos irmãosdo ator, justificando a ausência do velório. Abalada, a ex-mulher do ator Antônia Fontenelle ainda tentava entender o crime. ?Eleera incapaz de matar uma barata. Tinha acabado de fazer uma luz linda para um espetáculo. Estava muito feliz?. Antônia eAlmeida têm um filho de sete anos.O ator Milton Gonçalves, amigo da família há 40 anos, foi uma das primeiras pessoas a chegar ao cemitério. ?Ele praticamentecomeçou comigo na televisão. Era um menino muito bom, que lutava. O Fernando teve o azar de morrer de forma covarde.?Chorando muito, o ator André Gonçalves lamentou a morte do amigo. ?Morre um homem, um pai de família. É uma perda muitogrande.? Na saída do cemitério, amigos de Almeida se juntaram para pedir Justiça e mais rigor por parte da polícia na apuraçãodo caso.

Agencia Estado,

07 de abril de 2004 | 18h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.