Fernanda Rodrigues continua menina

Fernanda Rodrigues, 22 anos, não quer seguir os passos de Deborah Secco e virar um mulherão. A atriz, que, apesar da pouca idade, está completanto duas décadas de carreira, garante que só quer ser a menina de sempre. Os comentários de que Fernanda estaria mudando de estilo, apostando numa imagem mais sexy, surgiram por causa das cenas mais ´calientes´ que ela interpreta no filme Noites de São João, do cineasta gaúcho Sérgio Silva, e no curta De Morangos. "Isso é besteira. Adoro ser a Fernandinha de sempre e não tenho ânsia nenhuma de virar mulherão." Fernanda concorda que esses personagens representam uma mudança em sua carreira. Mas uma mudança sem nenhuma conotação sexual. "São papéis que cobram mais de mim e é isso que estou buscando agora". Fora do cinema, Fernanda Rodrigues vai viver mais uma vez a boa moça, uma flautista sonhadora que brigou com a família para seguir seu grande amor, sua personagem na próxima novela das seis da Rede Globo, Sabor da Paixão, de Ana Maria Moretzsohn, que estréia dia 30. No intervalo das gravações da novela, que já começaram, Fernanda falou ao JT sobre as duas décadas de carreira, a nova novela e os filmes - Noites de São João, que deve chegar às telas em julho de 2003, e De Morango, que estréia em novembro. Leia abaixo trechos da entrevista.Jornal da Tarde - Você já fez uma balanço desses 20 anos de carreira? Fernanda Rodrigues - Entrar nesse meio televisivo é fácil, o difícil é permanecer. Por isso tenho muito orgulho desses 20 anos. Lutei muito e nunca parei de estudar. Nunca achei que, só porque tenho alguns anos de experiência, já sabia tudo. Nunca parei de me aprimorar. No filme Noites de São João e no curta De Morango você interpreta personagens diferentes dos que fez até hoje em sua carreira. Em ambos você vive mulheres mais sensuais. Está cansada de ser a ´boa moça´? Não! Isso é a maior bobagem que andam dizendo. Adoro ser a Fernandinha de sempre. Não tenho ânsia de ser um mulherão. Disseram até que apareço nua no filme, mas não é nada disso. Há uma cena de sexo na penumbra, mas eu não apareço nua. E no curta, apareço em uma banheira coberta com morangos até o colo, não mostra nada do meu corpo. De qualquer forma são personagens diferentes do que você está acostumada... Sim. Estou completando 20 anos de carreira e tenho sentido, principalmente no último ano, um amadurecimento profissional. Estou mais disposta a fazer papéis que cobram mais de mim. Mas não quero mudar minha imagem. Aceitei esses papéis porque eram um novo desafio. Você posaria nua para uma revista masculina? Não tenho a menor vontade de posar nua. Não vou dizer que nunca faria, mas posso afirmar que nunca tive essa vontade e que isso não passa pela minha cabeça hoje. Não sou contra. Já vi ensaios bonitos como o da Maitê Proença para a Playboy. Mas não quero que as pessoas gostem de mim pelo meu corpo, quero que gostem pelo meu trabalho. E você não precisa do dinheiro... Comprei agora meu primeiro apartamento. É pequeno, mas é fruto de muito trabalho. Economizei muito e consegui. Mas continuo morando com a minha família no Leblon. E como é a sua nova personagem na tevê, Isadora Lima? Digo que ela é mais do que uma instrumentista, é uma estudiosa da música, apaixonada. Toca em um grupo de choro mas sonha com grandes orquestras. É um papel muito especial porque meu bisavô era flautista. Há três meses estou fazendo aulas de flauta para aprender a dublar um flautista de verdade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.