Fernanda Lima é destaque no Fashion Rio

A estilista Juliana Jabour fez sua estréia no Fashion Rio ontem com uma releitura do náutico com toques retrô dos anos 50 e 60. Na passarela, a atriz Fernanda Lima, cliente da marca e amiga da estilista. O último dia de desfiles foi aberto pelo Rio Moda Hype, o espaço para novos estilistas. No encerramento da semana de moda estava previsto a apresentação de Raica, namorada do jogador Ronaldo Fenômeno, pela grife TNG.Juliana Jabour apresentou mínis e máxis vestidos em viscolycra, moletinho, gaze de viscose. Nas cores, ela fugiu do que chama o "náutico tradicional", com azul, vermelho e branco. Apostou no azul, amarelo e branco. O verde foi presença marcante no desfile, inclusive no mini vestido usado por Fernanda Lima, que tinha a cintura deslocada para o quadril e botões nas laterais.A estilista ousou com botas com franjas para o verão. "Eu uso muito. Procuro fazer coisas que gosto de usar e descubro que muita gente também gosta. Mas tem que ter atitude", disse.O Rio Moda Hype foi aberto pela Flesh Beck Crew, grife de moda masculina, que misturou streetwear com moda praia, com estilos e tendências inspirados nos movimentos culturais como o Dub e o Mague Beat. A segunda grife a desfilar foi a Charlotte, de moda feminina. Para criar uma moda praia sofisticada, a estilista Carol Sofia apostou nas listras e sobreposições de vestidos evasês e bermudas na altura do joelho - já um clássico desta edição do Fashion Rio. O Cordel Regional buscou inspiração no samba para criar os looks masculinos, complementados pelo chapéu panamá e sapatos bicolores. Calças jeans e de Sarja, bermuda e paletó foram as formas exploradas pelos designers. A Despi Poppe, que estreou ontem no Moda Hype, utilizou materiais inusitados, como azulejos, palhas e penas, para ornamentar vestidos evasês e saias godês. A grife investiu nas sedas exclusivas, no algodão e na renda renascença - produzida em Pernambuco com o espinho do Mandacaru. O marrom foi a cor mais marcante no desfile ds estilistas Márcia Poppe e Despina Filós. Os estilistas da Soul Seventy, o casal Antonio Bokel e Amanda Mujica, abusaram de drapeados e estampas listradas em bermudas, vestidos e shorts. Com uma proposta de ser "um movimento subversivo militante que, através da comunicação entre arte e moda luta contra a padronização do ser humano". A atriz Daniele Suzuki desfilou com um vestido verde musgo, estilo "Che Guevara", cor que predominou em todo o desfile, compondo com tons crus. Os biquinis e sungas vieram em tons escuros e modelagem larga.A última dos novos estilistas foi Juliana Cabeza, da Laço de Fita. Muitos babados, patchwork de estampas, mangas exageradamente bufantes - inclusive em maiôs - apareceram nos looks, que pretendiam trazer a moda dos estudantes americanos para a praia carioca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.