Feira de Ribeirão teve 270 mil visitantes

A 2.ª Feira Nacional doLivro de Ribeirão Preto, a 310 quilômetros de São Paulo,encerrada no domingo, superou todas as expectativas dosorganizadores, que já planejam a terceira edição, entre 8 e 17de agosto de 2003. Em dez dias, o evento teve cerca de 270 milvisitantes e 280 mil títulos vendidos - a previsão era de 130mil visitantes e 200 mil livros vendidos. Para o próximo ano, jáforam definidos os homenageados: Bahia (Estado), Jorge Amado(escritor) e México (país).João Ubaldo Ribeiro e a mexicana Laura Esquivel já sãonomes considerados certos durante a feira, que, neste ano, tevea presença do paquistanês Tariq Ali e do canadense TitoAlvarado. O patrono de 2003 será Menalton Braff, prêmio Jabutide melhor ficção em 2000 pelo livro de contos À Sombra doCipreste (Palavra Mágica).Segundo o secretário de Cultura de Ribeirão Preto epresidente do evento, Galeno Amorim, a aprovação geral dopúblico foi de 98%.Pesquisas realizadas com os expositores e os visitantesapontaram os pontos positivos e também negativos (melhora desinalização e limpeza) para serem mantidos ou revistos napróxima feira. "As estatísticas finais consolidam a posição dafeira como uma das quatro principais do País e uma das maiores acéu aberto do mundo", disse Amorim. Somente as Bienais de SãoPaulo e do Rio e a Feira de Porto Alegre, que tem quase 50 anos,estariam à frente.Estiveram em Ribeirão Preto 273 escritores, participandode palestras, sessões de autógrafos e debates. Amorim informouque de 30% a 40% do evento que será promovido em 2003 já estápensado. Algumas avaliações serão feitas nos próximos dias. ACâmara Brasileira do Livro (CBL), uma das realizadoras, com aAssociação Nacional de Livrarias (ANL), deverá promover oEncontro Nacional de Editores em 2003. O Encontro Nacional deEscritores, organizado pelo Sesc, deverá ser revisto - talvezseja antecipado à feira, pois, neste ano, a presença de públicofoi baixa por causa da distância (alguns quarteirões, mas o maislonge do evento principal) das praças 15 e Carlos Gomes.A Imprensa Oficial do Estado deverá participar em 2003,como no ano passado. Neste ano, a prefeitura bancou o evento eteve três empresas aliadas: Odebrecht, Banespa e Telefônica.Foram gastos cerca de R$ 1,3 milhão na realização. "A feira jáfoi abraçada pela comunidade ribeirão-pretana", disse Braff. Oshomenageados neste ano foram Minas Gerais e Carlos Drummond deAndrade. O patrono foi Luiz Puntel e houve 600 atividadesparalelas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.