Fayed diz que realeza britânica queria 'livrar-se' de Diana

O empresário milionário Mohamed alFayed acusou nesta segunda-feira a família real britânica dedesejar "livrar-se" da princesa Diana, que morreu junto com ofilho dele em uma batida de carro ocorrida em 1997. Testemunhando em meio a um inquérito que investiga a mortede Dodi al Fayed e de Diana, o proprietário da loja dedepartamentos Harrods lançou acusações contra o príncipeCharles, ex-marido da princesa, e contra o príncipe Philip,ex-sogro dela e marido da rainha Elizabeth 2a. "Ela (a princesa Diana) falou comigo pessoalmente arespeito de seus temores, tanto antes quanto durante as fériasque os dois passaram juntos em julho de 1997", afirmou Fayed emuma declaração escrita enviada à corte encarregada dainvestigação. "Ela me disse que sabia que Philip e o príncipeCharles desejavam livrar-se dela." Diana, de 36 anos, Dodi, de 42, e o motorista Henri Paul,um funcionário de Fayed, morreram quando a limusine Mercedes noqual estavam bateu dentro de um túnel de Paris, em agosto de1997. A colisão aconteceu enquanto o carro tentava escapar depaparazzi que os perseguiam após terem saído do Hotel Ritz. Pela lei britânica, um inquérito deve ser realizado paradeterminar a causa da morte de alguém quando essa morte não énatural. Investigações realizadas pela polícia da Grã-Bretanha e daFrança concluíram que a batida não passou de um trágicoacidente provocado pelo excesso de velocidade e pelo fato de omotorista estar alcoolizado. As duas investigações rejeitaramas teorias conspiratórias de Fayed. Mas o empresário, em seu comunicado, voltou a dizer que osserviços de segurança da França e da Grã-Bretanha eramcúmplices nos esforços para matar o casal e depois esconderesse fato. "Os serviços franceses de inteligência ajudaram osbritânicos a livrarem-se da culpa pelo assassinato", afirmou."A princesa Diana disse-me ter provas de que sua vida corriaperigo." Em outras oportunidades, Fayed declarou acreditar que oassassinato da princesa devia-se ao fato de a família real nãodesejar que a mãe do futuro rei desse à luz uma criançaconcebida com o filho dele. Na declaração de segunda-feira, o empresário afirmou queDiana tinha lhe confiado estar grávida e que ela e Dodi estavamprestes a anunciar seu noivado. "Pelo telefone, Diana me disse que estava grávida. Sou aúnica pessoa para qual ela falou isso. Eles me disseram queestavam noivos e que anunciariam o noivado na segunda-feira demanhã (três dias depois do acidente)". Fayed, cujas teorias contradizem a maior parte dastestemunhas ouvidas no inquérito, também afirma que o corpo deDiana foi embalsamado para encobrir as provas de que esperavaum filho. (Por Kate Kelland)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.