Faustini inaugura biblioteca em teatro no Rio

Enquanto ensaia em São Paulo a mais nova peça do dramaturgo Gianfrancesco Guarnieri, A Luta Secreta de Maria da Encarnação, o diretor carioca Marcus Vinícius Faustini tem parte de sua atenção voltada para o Rio de Janeiro. Há dois meses, ele assumiu a direção artística do Teatro Armando Gonzaga, localizado em Marechal Hermes, que integra a rede estadual de teatros. São muitos os planos de Faustini e o primeiro deles ganha forma a partir de hoje, quando será inaugurada, numa das salas do teatro, a Biblioteca Sérgio Britto. "Nasci e cresci em Santa Cruz, bairro periférico do Rio, próximo a Marechal Hermes, e conheço a carência cultural da região. Uma das primeiras coisas de que me dei conta, foi de que em todo o bairro não havia uma única biblioteca." Faustini conseguiu centenas de livros em doações feitas por instituições como a Universidade do Rio e a Funarte e diretores como Alcione Araújo, Guarnieri e Sérgio Britto. Este último cedeu ainda parte de sua famosa videoteca, integrada por importantes montagens teatrais brasileiras e estrangeiras, além de óperas e balés. "Daí a homenagem a ele no nome da biblioteca." Também nessa noite, Sérgio Britto ministrará a aula inaugural do curso de interpretação que será dado por atores da companhia para 50 diretores e atores de grupos amadores locais. "Uma de nossas ambições é instrumentalizar os grupos amadores locais, que têm poucos apoios e uma estrutura frágil." O curso começa hoje, mas Faustini e os atores de sua Companhia de Teatro Brasileiro já iniciaram essa parceria. "A Secretaria Estadual de Cultura lançou um programa de apoio a grupos amadores, com ajuda de custo em torno de R$ 15 mil mensais. Nós orientamos esses grupos na formatação de projetos para essa concorrência. Afinal, essas questões de produção, que parecem pouco importantes, muitas vezes interferem diretamente na criação artística." Faustini pretende ainda abrir espaço para a apresentação de espetáculos dos grupos amadores no Teatro Armando Gonzaga. Para estimular um debate sobre a atividade teatral, o diretor planeja também lançar uma revista, Querela, para a qual já conseguiu o apoio do Instituto Takano, patrocinador de A Luta Secreta de Maria da Encarnação. "O primeiro número da revista deve sair em novembro e trará uma discussão sobre a crítica teatral, por meio de entrevistas aos principais críticos cariocas." Faustini ficará responsável pelo teatro até o fim do governo Garotinho, ou seja, por um ano e meio, com direito a uma verba semestral de R$ 50 mil para a produção de espetáculos. E recebeu ainda uma verba de R$ 150 mil para reformas.

Agencia Estado,

24 de setembro de 2001 | 21h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.