Fause Haten: leveza e renovação para os dois sexos

Um dos mais fashions desta edição, o jovem estilista Maxime Perelmuter, da British Colony, prestigiou o segundo desfile do quinto dia da SPFW, o de Fause Haten, que trouxe de uma mesma tacada as coleções feminina e masculina. E não só ele. Na platéia: a cantora Maria Rita, a apresentadora Adriane Galisteu e a escritora pop Fernanda Young.Perelmuter disse ter ficado chocado com a coleção de seu ídolo, Haten. "Sua técnica para alfaiataria masculina é incrível. Um dia espero fazer moda masculina como ele", diz. "Ele realmente faz uma moda para o homem, possível de ser usada e ainda cria com uma atitude incrível: a valorização do belo, que poucos conseguem", explica. "É uma experiência típica daqueles que aprenderam a arte da camisaria, por exemplo. Não é qualquer pode fazer isso, mas ele sim." Os elogios não se restringem à moda masculina. "Eu gostei muito da leveza no seu olhar para o feminino, com saias rodadas, pregueadas e super leves", aponta ele.Segundo Fause Haten, a inspiração para as duas coleções veio de uma vivência na Bahia. A partir dela, o trabalho da idéia da leveza, dos babados (usado para as peças femininas, como saias e vestidos), dos tecidos de algodão e bordados ? ambos presentes tanto nos modelos masculinos quantos femininos. Sua mulher usa colares, túnicas e kaftans, que remetem à brasilidade baiana. Já a coleção masculina tem como forte as possibilidades de "novos paletós": o paletó clássico com bermuda de alfaiataria, o paletó sem manga com calça de alfaiataria e túnica longa e a casaca sem manga com calça em alfaiataria. Sobretudo, uma moda branca. O jeans, lavado e com aplicações de silk douradas, é um dos pontos altos tantos para a mulher quanto para o homem. O segundo desfile, mas o primeiro momento de consagração do dia.Veja Galeria

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.