Fãs escrevem histórias gays de Harry Potter

As "fanfics" (ficções criadas por fãs), textos em que as pessoas escrevem histórias sobre seus personagens favoritos da literatura, televisão e cinema chegaram até a obra Harry Potter para alimentar, inclusive, fantasias homossexuais. "Draco respira em sua nuca, seu corpo descansa, enquanto Harry o abraça, negando-se a deixá-lo ir; Harry descobre a sensação mais bela que já sentiu em sua vida", escreve um fã da obra sobre um suposto relacionamento amoroso entre o aprendiz de bruxo e seu inimigo, Draco Malfoy. Há várias décadas os seguidores usam o "fanfic", mas com a internet surgiu um novo subgênero em nível mundial. O site na internet mais importante dedicado ao gênero é o fanfiction.net, dotado de um arquivo com mais de um milhão de histórias sobre a mais variada gama de personagens, de Hamlet a Buffy, a caça-vampiros. No entanto, os ´fanfics´ mais populares são os de Harry Potter e vão de pequenas conversas imaginárias entre os personagens até extensas aventuras divididas em capítulos. Alguns sites, como o Sugarquill.net, são exclusivamente reservados para ´fanfics´ sobre o menino bruxo, contando com a colaboração de escritores principiantes de locais tão distantes como Austrália, Islândia, Filipinas e até mesmo Índia. "Acho que para a maioria das pessoas trata-se da emoção de escrever sobre algo que leu e receber a resposta dos críticos on-line", disse Jennie Levine, co-fundador do Sugarquill e bibliotecário na Universidade de Maryland. O principal atrativo dos fanfics é que se trata de um bom ponto de partida para os que aspiram a se tornar escritores de ficção. "Esperamos que seja um trampolim para que as pessoas eventualmente escrevam suas próprias histórias", acrescentou Levine. Graças ao trabalho de 25 editores voluntários, o Sugarquill seleciona cuidadosamente as histórias que vai publicar. Entre as histórias criadas, muito seguidores se especializam nas relações amorosas entre seus personagens favoritos. O Sugarquill aceita estas ´revelações´ desde que respeitem as características de Harry Potter e não façam referência a sexo explícito. No entanto, outros sites narram possíveis relações sexuais do bruxo em qualquer lugar, de qualquer forma e com todas as combinações possíveis. "Não acho que seja meu trabalho ou de ninguém determinar qual deve ser o conteúdo. Desde que esteja bem escrito, coloco" na web, disse Vikki Dolenga que criou o site de ´fanfic´ de Harry Potter para adultos, o Restrictedsection. org, em 2002. Um grande número de histórias neste site estão sob a categoria "slash", que inclui relações homossexuais de personagens tradicionalmente heterossexuais como Harry e Draco. Esta categoria dos ´fanfics´ teve origem em meados dos anos 70, com o relacionamento imaginário entre o capitão Kirk e o senhor Spock, da série Jornada nas Estrelas. O gênero dos ´fanfics´ na internet, que tem tido um forte aumento, gerou várias reações dos autores originais das obras. "Os personagens estão protegidos (por direitos autorais). Me incomoda terrivelmente pensar sequer sobre uma ficção de fãs com meus personagens", declarou a escritora Anne Rice, autora de Entrevista com o Vampiro, em uma declaração publicada em seu site oficial cinco anos atrás. No entanto, a criadora de Potter, JK Rowling, e seus editores têm adotado uma atitude bastante conciliadora, criticando apenas as narrativas sexualmente explícitas, violentas ou profanas. Sites na web como ´Restrictdsection.org´ receberam ordem para suspender seus serviços, mas continuam funcionando depois de adotar senhas para controlar o ingresso de menores de 18 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.