"Fantástico" exibe reportagem velha

O Fantástico de domingo deu uma bola fora. Exibiu uma reportagem, sobre o tráfico de órgãos humanos no México, com o atraso de um ano. A investigação foi feita por dois jornalistas espanhóis - um da emissora Antena 3 e outro do jornal El Mundo - em maio do ano passado. A dupla fingiu estar em busca de um rim para desmascarar o esquema de um falso padre, Martin Rubio Murillo, e um médico, Arturo Gomez MuÏoz, na Cidade do México. A reportagem teve 16 minutos e foi narrada por Cid Moreira, que apresenta o quadro Isso É um Espanto, e Francisco Milanni. Além da edição em ritmo de folhetim, o programa usou trilha de suspense. Em nenhum momento, o espectador foi informado de que o fato ocorreu há um ano. Não diz o paradeiro dos acusados nem os desdobramentos da história. Segundo a Central Globo de Comunicação, o material foi comprado da Antena 3 e "veio sem data". A produção do programa avaliou a reportagem e considerou o tema "atemporal", sem necessidade de complemento. A assessoria chega a dizer que a reportagem poderia ir ao ar até 2003, quando terminam os direitos de uso das imagens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.