Fantasia do Bope desbanca super-heróis no Carnaval do Rio

Não tem para Homem-Aranha nempara Super-Homem. Neste Carnaval, adultos e crianças têmprocurado com avidez uma roupa preta com uma caveira estampada,símbolo do nova febre do Rio de Janeiro: o policial do Bope. Procurada tanto por homens e mulheres, a nova fantasia é oresultado da badalação do filme "Tropa de Elite", que prometedeixar o Carnaval menos colorido e mais perto da realidadeviolenta da cidade. A ausência de cores na festa só não será maior por falta deprogramação dos fornecedores, que não conseguem atender a tempoos insistentes pedidos dos lojistas. "A fantasia 'Tropa de Elite' é a mais procurada, mas estãoentregando muito pouco... a feminina já acabou e a masculinatem pouco. A de criança também acabou mas está para chegar",disse em tom chateado o gerente da tradicional Casa Turuna,Marcelo Servos. Ele viu seu estoque de 80 peças sumir das prateleirasrapidamente e espera que até o Carnaval os fabricantes aumentemo ritmo de produção para atender a enorme procura. O gerente Carlos Henrique dos Santos, da Loja Rodrigão,disse que este ano os super-heróis têm vendido bastante também,mas estão em segundo plano. "Temos vendido muito bem tudo, mas pedi 100 peças da 'Tropade Elite' e já acabou, estou esperando receber mais", lamentou. Com preços que variam de 50 a 19 reais, as fantasiasbaseadas nos uniformes do Batalhão de Operações PoliciaisEspeciais (Bope) trazem uma caveira atravessada por um punhal earmas. Os modelos de fantasia aparecem desde a mais simplescamiseta e boné até uma sexy versão de saia, bustiê, colete,coldre e polainas. "Outro dia uma mulher queria levar 40 de uma vez só, masnão conseguiu e disse que vai voltar depois", afirmou avendedora Carla Vieira, da Loja Simões, dizendo não saber o quea cliente faria com o lote. Enquanto os estoques não são repostos, piratas, odaliscas,mulheres da caverna e baianinhas ainda têm vez no gosto dosfoliões. Mas, na avaliação dos vendedores, esse Carnaval está maispara o refrão do filme, "Tropa de Elite osso duro de roer, pegaum pega geral, ainda vai pegar você", que já começa a ganharritmo de samba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.