Famosos marcam presença no Tim Festival em SP

Gael García Bernal, Alessandra Negrini, Paulo Ricardo e outros curtem a baladação VIP e os shows da noite

Pedro Henrique França, Agência Estado

29 Outubro 2007 | 16h36

O ator Gael García Bernal estava na porta, com um olhar perdido, ao celular, mas sem histeria de anônimos que estavam na área vip. Mariana Aydar e o namorado Duani circulavam, assim como a atriz Débora Falabella, o músico Otto e sua namorada, Alessandra Negrini. Paulo Ricardo e Daniela Mercury também marcaram presença. Pela pura badalação ou pelas atrações, os artistas estiveram ontem no Anhembi, em São Paulo, para conferirem os shows do Tim Festival.   Veja também:   Especial TIM Festival    Björk é cultuada pelo público paulistano no TIM Festival A chuva que caiu na capital paulista nos últimos dias deu trégua e as mais de 20 mil pessoas puderam conferir os shows tranqüilamente. Os maiores problemas foram os atrasos, que começaram a degringolar desde a primeira atração. Previsto para às 18h30, o hip hop do Spank Rock subiu ao palco às 19h, com um Anhembi que ainda se encontrava vazio. O quinteto inglês Hot Chip deu início ao show às 20h. Pouco antes das 21h, eles deixaram o palco e o Anhembi já estava mais cheio. A expectativa era pela atração seguinte, a islandesa Björk. Mas quem foi no horário programado teve de esperar. A desmontagem do palco para o cenário levou mais de uma hora e Björk chegou somente às 22h. Anunciada por um "exército" de fadinhas marchando pelo palco, Björk veio com um figurino colorido, com um chapéu com fitas que cobriam seu rosto. Abriu o show com Earth Intruders, do seu último disco Volta. O repertório ficou em cima do álbum, mesclado com canções de discos anteriores, como Hunter, de Homogenic. Björk ia de um lado ao outro do palco, mencionava alguns "obrigados" e encantava o público. Ora eletrônico e agitado, ora melancólico, a cantora fez um show que culminou com uma chuva de papel picado no fim. Juliette, Arctic Monkeys e The Killers De calça vermelha bem justa e uma blusa que deixava a barriga de fora, a atriz Juliette Lewis, acompanhada da banda The Licks, entrou no palco logo em seguida. Mas o grupo não empolgou. Juliette se arrastou pelo palco, gritou, correu, mas não conseguiu levantar o público no Anhembi. Já de madrugada, os rapazes do Arctic Monkeys tiveram boa recepção. Trouxeram aos brasileiros um apanhado de canções dos álbuns Whatever People Say I Am, That''s What I''m Not e Favourite Worst Nightmare. Eles tiveram bom retorno do público, que já mostrava sinais de cansaço daquela maratona. Já quase de manhã, às 4h, a banda norte-americana The Killers subiu ao palco. A grande parcela que permanecia no Anhembi ouviu hits da esperada atração do Tim Festival. O vocalista Brandon Flowers interagiu bem com os brasileiros e o iluminado cenário só apagou quando já passava das 5h.

Mais conteúdo sobre:
Tim Festival

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.