Famíliade Tony Scott nega tumor

A família do cineasta Tony Scott negou que o diretor de Top Gun sofria de uma enfermidade grave, o que foi cogitado como possível motivo para que ele tivesse tomado a decisão de saltar de uma ponte no domingo passado, na zona portuária de Los Angeles. Scott, de 68 anos, morreu em um aparente suicídio, cujas motivações ainda são investigadas. De acordo com a rede de televisão ABC, o diretor sofria de um tumor cerebral sem chance de cura. Os médicos ainda não divulgaram o resultado da autópsia. O site TMZ noticiou que Scott teria deixado um bilhete com uma lista de nomes a serem contatados após a sua morte. / EFE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.