Família Redford leva arte para Los Angeles

E abre hoje salas destinadas às produções independentes

RICHARD VERRIER , LOS ANGELES TIMES / LOS ANGELES , O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2012 | 03h13

Robert Redford cresceu nos anos 40 e 50 em Los Angeles, onde se apaixonou pelo cinema nas salas das cidadezinhas de interior. "Era uma experiência comunitária, na qual a gente podia reconhecer os próprios vizinhos", lembrou ele. Agora, o ator, diretor, produtor e fundador do Festival de Cinema Sundance espera reviver este espírito comunitário abrindo um cinema independente em West Hollywood.

Hoje, a Sundance Cinemas inaugurará sua primeira casa em Los Angeles, um complexo com cinco salas, recém-reformado, no cinema Sunset 5, antes operado pela Laemmle Theaters.

O Sundance Sunset Cinemas, de 630 lugares, é o quinto da cadeia de salas de Westlake Village, aberto em 2006, que tem cinemas que cobram ingresso mais caro, destinados principalmente a filmes independentes.

"Nasci e me criei aqui, e achei que se fizesse um cinema aqui, seria um pouco como voltar para casa", disse Redford, que mora em Sundance, Utah.

A companhia de Redford investiu US$ 2 milhões na reforma do teatro, localizado em um shopping. As obras incluíram a instalação de projetores digitais, sistema de som novo, assentos extralargos, com mesinhas laterais, e também um bistrô. Assim como o vizinho ArcLight, o Sunset cobra um preço mais alto: entre US$ 11 e US$ 15.

Redford, estrela de clássicos como Golpe de Mestre e Butch Cassidy, continuou trabalhando na frente e atrás das câmeras. Acaba de voltar do México, onde estrelou All Is Lost, sobre a luta de um homem para sobreviver no mar. O ator e diretor de 76 anos também dirigiu e coestrelou recentemente com Shia LaBoeuf The Company You Keep, sobre um ex-militante da organização Weather Underground que foge de um jornalista que descobriu a sua identidade.

O cinema de Redford tentará diferenciar-se exibindo só produções independentes e se tornando um centro de encontro para cineastas independentes.

Na quarta-feira foi exibido um documentário de Jamie Redford, filho do ator, Watershed: Exploring a New Water Ethic for the New West, cuja bilheteria se destina a apoiar o grupo de defesa ambiental Heal the Bay.

"Funcionará? Não funcionará? Não tenho a menor ideia", disse Robert Redford sobre seu novo projeto. "Mas vale a pena tentar." / TRADUÇÃO ANNA CAPOVILLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.