"Família MTV" estréia com o clã Suplicy

Mais uma vez a família Suplicy é o foco das atenções na telinha. Depois de virar Os Suplicympsons, desenho animado no programa Casseta & Planeta, o estilo de vida do clã é mote para seis episódios do programa Família MTV, que estreou ontem no canal musical. E é o roqueiro Supla, filho da prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, e do senador Eduardo Suplicy quem segura as pontas do programa, pois seus pais não querem uma exposição excessiva por causa de seus cargos políticos.No episódio de estréia, Supla reforça a fama de bom moço escondido atrás dos cabelos espetados e da pose de punk. Tudo começa com um vídeo caseiro da família, em que ele aparece no frescor dos 14 anos, na bateria de uma banda juvenil fazendo cover dos Beatles. A cena corta para os dias de hoje: Supla se preparando para uma apresentação no (quem diria!) Gallery, casa que teve seu auge nos anos 80. Aderindo a um estilo mais almofadinha na ocasião, tocou ao lado do irmão mais novo, o também músico João Suplicy. "Toco em qualquer lugar." As câmeras da MTV registraram outras curiosidades em um dia e pouco na vida de Supla: a convivência com os amigos, seu relacionamento com a "mais que amiga" Camila, o ensaio com a banda na garagem e um almoço familiar na casa da vó Filomena. O encontro com a avó, de 95 anos, aliás, rendeu um dos momentos mais descontraídos do episódio. Curiosa em saber a procedência daquela câmera que o acompanha, ele respondeu: "Da MTV". E emendou: "É um programa que suga sua alma." D. Filomena divertiu-se. Marta Suplicy não deu o ar da graça no primeiro capítulo, mas deve fazer uma aparição por esses dias. O senador Suplicy apareceu, meio desconfortável diante da presença das câmeras. Com duração de meia hora diária, Família MTV (versão tupiniquim do bem-sucedido The Osbournes, que acompanha o cotidiano da família do Ozzy Osbourne) diverte na mesma proporção que instiga a porção voyeur do espectador. A mesma porção que faz de Big Brother e outros reality shows fórmulas bem-sucedidas e, por enquanto, inesgotáveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.