Família de Porchat vai ao Senado para investigar ameaças contra humorista

Censuras começaram depois de vídeo que ironiza o trabalho de policiais militares do Rio

Ricardo Brito, O Estado de S. Paulo

10 de fevereiro de 2014 | 23h10

BRASÍLIA - A família do humorista e colunista do Estado, Fábio Porchat, recorreu ao Senado para tentar investigar ameaças que ele estaria sofrendo nos últimos dias. As censuras a Porchat começaram depois que ele participou do esquete "Dura", contracenado pelo grupo Porta dos Fundos, no qual ironiza o trabalho de dois policiais militares do Rio de Janeiro. Em uma semana, até a noite desta segunda-feira, o vídeo já foi visto por mais de 4,2 milhões de pessoas.

O esquete mostra os policias sendo humilhados, com direito a tapas na cara, e extorquidos por cidadãos comuns. A reação partiu do "Blog do Soldado", uma página não oficial de apoio à PM fluminense, para quem o vídeo gerou "muita revolta" na classe. O blog foi retirado do ar esta noite.

"Pois bem, esse humoristazinho (sic) de m. achou que pode postar a p. de um vídeo e humilhar toda classe policial militar e que isso fosse ficar por isso mesmo? Está muito enganado, Fabio Porchat. Você não sabe o ódio que despertou em todos nós policiais militares, ao postar essa bosta de vídeo", afirmou o blog, em um dos comentários postado no último dia 5. "Não estamos incitando a violência, mas, bem que esse m. (sic) do Fabio Porchat deveria levar umas belas de umas porradas por esta humilhação que proferiu contra os policiais militares."

O vice-líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), relatou nesta segunda-feira em plenário ter sido procurado pelo pai do humorista, o ex-deputado federal por São Paulo Fábio Porchat. O ex-parlamentar

pediu-lhe ajuda para apurar a origem das mensagens de ameaça contra o humorista. Em um dos comentários no blog, um leitor sugere que se metralhe Porchat.

Reação. Em uma carta do pai do humorista, lida pelo senador tucano, é relatado que dois ministros de Estado pediram para diminuir o tom das críticas, no que o ex-deputado rebateu dizendo que tem orgulho da postura. "É uma reação às criticas, aos esquetes que ele postou", disse o vice-líder tucano.

Álvaro Dias cobrou a adoção de cinco providências de autoridades para apurar as ameaças. A Mesa do Senado determinou o envio de um pedido de recomendação ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para que as autoridades policias ofereçam segurança e dê garantias de vida ao humorista.

Outra sugestão é pedir à Comissão de Direitos Humanos do Senado que peça a investigação do Blog do Soldado. Um terceiro é pedir para o Google, página da internet onde está hospedado o blog, que apure as violações de "direitos humanos e práticas criminosas" cometidas contra o humorista.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
porchatporta dos fundos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.