Lope Medina/Reuters
Lope Medina/Reuters

Família de García Márquez decidirá quando publica sua obra inédita

‘En Agosto Nos Vemos’ é um romance deixado pelo colombiano e revelado apenas após sua morte

EFE

25 de abril de 2014 | 11h17

A decisão de publicar a obra inédita de Gabriel García Márquez, morto na semana passada, será tomada por sua mulher e seus filhos quando a “família se acalmar”. A informação foi dada às agências internacionais pelo diretor geral da Fundação Gabriel García Márquez para o Novo Jornalismo Iberoamericano (FNPI, na sigla em espanhol), Jaime Abello.

::: Cultura Estadão nas redes sociais :::
:: Facebook ::
:: Twitter ::

O diretor indicou que esse “curto romance”, intitulado En Agosto Nos Vemos, é por enquanto o único documento inédito de García Márquez. “É pouco provável que haja outros, ainda que seja possível que existam”, arriscou.

O anúncio de que a obra existia foi feita pelo diretor editorial da Penguin Random House no México, Cristóbal Pera, depois da morte do escritor colombiano, no dia 17 de abril. Seria uma obra escrita no início dos anos 2000, em que se relata a história de uma mulher que visita uma ilha onde está a tumba de sua mãe.

Jaime Abello disse, ainda, que não sabia quando a obra tinha sido escrita, já que desde 2005 García Márquez havia dito que não escreveria mais.

“Caberá à família e à sua editora de toda a vida, Carmen Balcells, a administração do legado literário de García Márquez”, afirmou Abello. “São eles que tomarão essa decisão, assim como em relação às cinzas do escritor, mas apenas depois de um tempo para que as coisas fiquem mais serenas”, continuou.

Mercedes Barcha, também conhecida como “La Gaba”, foi a companheira de toda a vida de García Márquez, com quem se casou em 1958. O casamento gerou dois filhos: Rodrigo García Barcha, diretor de cinema que reside em Los Angeles, e Gonzalo García Barcha, editor que vive atualmente em Paris.

Tudo o que sabemos sobre:
Gabriel García MárquezLiteratura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.