"Fama" termina, mas terá nova edição

O programa "Fama", da Rede Globo,chega neste sábado, às 16h05, à sua grande final com saldopositivo. Além de bater a concorrência no horário, com média deaudiência entre 18 e 21 pontos, revelou algumas promessas damúsica brasileira e vai ganhar uma segunda edição. Fugindo àregra, um reality show com utilidade. Quem acompanha o programa conhecerá o vencedor daAcademia Fama, eleito pelo público. A votação teve início nosábado passado, por meio de Internet e telefone, e continua atéo programa deste sábado, que terá 40 minutos a mais de duração. A escolha vai ser difícil. A paulista Vanessa Jackson édona de uma possante voz e conquistou a platéia desde o iníciode Fama. Os baianos Adelmo Casé e Nalanda são agradáveissurpresas. Devagar, o tímido João Batista, de Natal, tambémconquistou seu espaço. Os quatro são finalistas. Vanessa Jackson foi indicada pelo público, Adelmo eNalanda, pelos professores, e João Batista, pelos outros trêsfinalistas. No entanto, apenas um deles vai sentir o gostinho degravar o tão sonhado disco-solo. Será em Londres, no estúdioLindhurst Air, considerado um dos dez maiores do mundo. Por lápassaram nomes como Madonna e Paul McCartney. Para o diretor doprograma, Luiz Gleiser, não há preferências. "A disputa estámesmo muito acirrada", afirma. Foram mais de dois meses de programa. Começou com 12participantes, mas a cada sábado, um deles tinha de sereliminado. Os jurados indicavam quatro integrantes paraabandonar a academia, sendo um deles salvo pelos mestres e ooutro, pelos companheiros. Os dois restantes enfrentavam aberlinda. No sábado seguinte, ambos faziam apresentação-solo e opúblico decidia quem deveria continuar. Quando restavam seisintegrantes, não havia mais eliminação, mas sim a disputa poruma vaga na finalíssima. Este esquema de votação será mantido no Fama 2. A rotinaárdua na academia também, incluindo exercícios deaperfeiçoamento vocal e corporal. Os novos candidatos aosholofotes, escolhidos entre 32 pré-selecionados, serãoapresentados neste sábado. Desta vez, foram escalados dezcantores, em vez de 12. "Temos menos candidatos, porque temosmenos tempo para ficar no ar, em função da agenda do futebol eeleições", diz Gleiser. Segundo o diretor, Fama 2 já estava nos planos da Globo,mas não termina agora. "A receptividade do público, principalmentedas crianças e adolescentes, foi tão grande que a emissoraresolveu emendar os dois programas", comenta. Fama deu origemtambém a uma coleção de CDs, gravados pelos própriosparticipantes. Um dos trabalhos recebeu disco de ouro, pelavenda de 100 mil cópias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.