Falta papo entre colegas de idades diferentes, diz pesquisa

Existe uma lacuna geracional noslocais de trabalho porque os empregados de 20 e poucos anosraramente conversam com seus colegas cinquentões ou sessentões,segundo uma nova pesquisa. As 3.494 entrevistas feitas pela consultoria de RH RandstadUSA mostrou que 51 por cento dos "baby boomers" (uma geraçãohoje na faixa dos 50-60 anos) e 66 por cento dos trabalhadoresmais velhos têm pouca ou nenhuma interação com seus colegasmais jovens. Especialistas em recursos humanos temem que essa falta decomunicação crie uma escassez de mão-de-obra qualificada,porque uma geração está se aposentando sem transferir seusconhecimentos. "Os trabalhadores mais velhos vêem de forma estereotipadaos mais jovens como não tão competentes e sem tanta ética detrabalho", disse Eric Buntin, diretor de marketing e operaçõesda Randstad USA. "Os trabalhadores mais jovens vêem os mais velhos comopessoas que não conseguem pensar fora do convencional." Além disso, segundo ele, essas gerações têm expectativasdiferentes a respeito de trabalho e emprego. Para Butin, as empresas deveriam se mobilizar para"reuni-los de forma significativa, para que se engajem juntosem projetos." A pesquisa avaliou quatro gerações: a dita Geração Y,nascida entre 1980 e 88; a Geração X, nascida entre 1965 e 79;os "baby-boomers", nascidos entre 1946 e 64; e os maduros,pré-1945 --com os quais em geral nenhuma outra geraçãointerage. Sobre a Geração Y, a pesquisa mostrou que há umaauto-imagem relativamente ruim, pois apenas 29 por cento deseus integrantes consideram competentes as pessoas da suaprópria faixa etária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.