Falta ao torcedor dos EUA aprender a vaiar

Os americanos tomaram, enfim, gosto pelo futebol, mas, que ninguém se iluda por lá, é mais complicado dominar o assunto - a bola eles até já controlam direitinho - do que desocupar o Afeganistão. O mundo da bola é diferente! O próprio Obama, recém-apresentado ao esporte bretão, está achando a lei do impedimento mais complexa que a lei antiterror de seu país. No fundo, no fundo até gostou da eliminação dos EUA na Copa para não precisar pensar mais nisso agora.

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

03 de julho de 2014 | 02h06

Melhor assim! Dia desses, um assessor hispânico conseguiu contê-lo a tempo de explicar que Maradona fez pilhéria ao sugerir à Fifa que castigasse a mordida de Suárez mandando o uruguaio para Guantánamo. O presidente queria se pronunciar publicamente contra!

Foi até agora o chefe de estado que mais posou de torcedor na mídia. Nem a Dilma se expôs tanto! Daqui a 40 anos, quando os EUA virarem o país do futebol, o ocupante da Casa Branca que tentar o mesmo não terá como driblar as vaias.

Dupla jornada

Liberado para o trabalho externo

durante cumprimento de pena,

José Dirceu está batalhando um

bico de steward da Fifa na final

do Maracanã. Teme não conseguir sobreviver fora da cadeia só com

os R$ 2 mil que vai ganhar em

escritório de advocacia.

Ô, raça!

Sabe aquela bola na trave que o

jogador suíço cabeceou da pequena área no lado oposto à cobrança

de córner? Os argentinos estão chamando o lance de "milagre do segundo pau do papa Francisco". Segundo eles, sorte deu o Brasil quando

o Chile acertou nosso travessão.

"Mira que lindo!"

Tinha argentino ontem negociando com sem-teto de São Paulo a

venda de ponto em acampamento

no sambódromo, antes de seguir

viagem atrás de Messi, Di Maria & Cia, que enfrentam a Bélgica no

sábado, em Brasília.

Concorrente da Disney

Contratado pelo Orlando

City para a temporada 2015

nos EUA, o brasileiro Kaká

já é mais famoso na Flórida

que o Pateta!

Tontos são os outros

Vai entender a Fifa: primeiro

exige uma lei liberando a venda

de cerveja nos estádios da

Copa, depois se diz preocupada com o consumo de álcool nas

arquibancadas. Parece

que bebe, né não?

Não Fred, Freud!

Fred raspou o bigode após

conversa reservada com

a psicóloga da seleção.

Freud explica!

Tudo o que sabemos sobre:
Tutty Vasques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.