Falabella e Gimenez dividem o palco no Rio

Desde o início do ano, os atores MiguelFalabella e Cláudia Gimenez se preparam para realizar um sonhoda juventude. Eles estréiam na sexta-feira a comédiaBatalha de Arroz num Ringue para Dois, de Mauro Rasi,sucesso dos anos 80 que teve a atriz Bia Nunes no papel hojevivido por Cláudia, com a pretensão de reeditar no TeatroVanucci as filas quilométricas daquela época. "Voltar a essetexto é resgatar um verão da nossa vida, com o conhecimento dehoje", diz Falabella. "A peça foi escrita para mim e a Cláudia, mas naquela época demorei para conseguir um produtor e ela nãopôde mais participar quando tudo ficou resolvido."Os ensaios tiveram um clima de reencontro entre amigos.Rasi apareceu pouco por estar envolvido com seu próximoespetáculo, o musical Ladies na Madrugada, que pretendeestrear ainda este ano, mas está tranqüilo quanto à reedição deum de seus primeiros sucessos de bilheteria. "Trata-se de umhumor selvagem, não é um teatro reflexivo, como eu viria a fazerdepois, mas aborda questões importantes do relacionamentohumano", disse Rasi, numa rara visita ao ensaio.A remontagem de Batalha de Arroz começou no anopassado, quando os dois atores propuseram um sitcom à Rede Globo, tendo o texto como base. "Eles acharam muito elitista e nospropuseram um programa de paródias. Não topamos e agora estamosnegociando de novo", conta Cláudia. Ela só não gosta quando seclassifica a comédia como besteirol, que visa meramente aoentretenimento. "O espetáculo discute questões importantes dorelacionamento a dois e mostra o patético das situações.Entretém e faz pensar também."A montagem de agora tem cenários e figurinos de CláudioTovar e, para Falabella, é beneficiada pela maturidade artísticadele e Cláudia. "O interessante quando dois atores se encontramem cena é um respeitar o tempo do outro e nisso estamos cada vezmelhor, pois temos muita disciplina e valorizamos o texto",afirma ele, lembrando que a espontaneidade vista no palco éfruto de muito trabalho.Cláudia ressalta que o texto de 1985 foi basicamentemantido porque então não continha muitas referências temporais."Além disso, não costumo colocar cacos na minha atuação. Gostode burilar as palavras e a improvisação só tem sentido quandoserve à ação dramática. A graça pela graça não me atrai", dizela. Os dois se conhecem desde o início da carreira e játrabalharam juntos. Um dos maiores sucesso de Cláudia, ComoEncher um Biquíni Selvagem, foi escrita e dirigida porFalabella e os dois estavam no elenco do humorístico Sai deBaixo, da Rede Globo.Falabella, que se tornou gestor dos teatros da redemunicipal do Rio, investe R$ 200 mil nessa montagem sem recorrera leis de incentivo, mas conta com o sucesso. "Da outra vez,ficamos anos em cartaz e agora não tem prazo para terminar",avisa ele. Além disso, ele será o par romântico de Vera Fisherna novela Kubanacan, da Rede Globo, que substituirá O Beijo doVampiro.

Agencia Estado,

12 de fevereiro de 2003 | 17h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.