'Faço esquecerem problemas'

Você já é um ícone internacional, é atriz, produtora de cinema, fashionista, celebridade de TV. Para que correr riscos a essa altura com turnê internacional, passando por lugares em profunda crise econômica, política?

O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2012 | 03h10

Não vejo riscos. Vejo como parte do meu trabalho, que é o de levar entretenimento ao mundo. Por umas duas horas, posso fazer as pessoas esquecerem seus problemas, alegrarem-se. É o que a música faz.

Mas você nunca fez turnê internacional. Agora que tem 42 anos, que já é uma estrela, o que a move a iniciar turnê desse porte?

Para ser honesta, achei que era a hora certa. Sei que as pessoas esperaram para me ver por muito tempo, e que tenho agora as condições de oferecer isso. Tive a oportunidade, a oferta e achei que ia ser legal em muitos níveis diferentes: pessoalmente, artisticamente.

Você também é mãe agora. Está trazendo eles consigo?

Eles têm de estar comigo. Aqui nos Estados Unidos, eventualmente eu posso contar com a avó deles para tomar conta, mas não gostaria de deixá-los por tanto tempo sem a mãe. São gêmeos, Max e Emme, e ambos têm 4 anos.

Que tipo de show fará?

Bom, é um show com tudo que há num grande show: dançarinos, banda ao vivo. Estou muito orgulhosa de toda a equipe. Estamos há dois meses ensaiando, e eles compartilham o projeto comigo, têm o mesmo espírito. Está sendo ótimo. Vamos tocar músicas de cada disco meu, uma retrospectiva.

Ouvi dizer que envolve muitas trocas de roupa, e que o guarda-roupas foi desenhado pelo libanês Zuhair Murad.

Sim, é o artista que criou o vestido que eu usei na noite dos Oscars. Não é um conceito futurista, é um mix de glamouroso com street, com dance, é sexy e moderno ao mesmo tempo.

Sua música mistura R&B, dance, hip-hop. Que tipo de música você ouve em sua casa?

É engraçado, ouço todo tipo de música. Adoro Drake. Adoro Bruno Mars. Tenho uma queda por hip-hop. Não vi ainda os shows de Madonna e Lady Gaga, mas amo as duas também. / J.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.