Facetas múltiplas do amor cômico

Baseada em textos de Luis Fernando Verissimo, série tem grupo de atores que muda de personagem a cada episódio

JOÃO FERNANDO, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2013 | 02h25

Um dos chavões de atores e atrizes é dizer que a graça da profissão está em encarnar alguém novo a cada dia. Para a equipe de Amor Verissimo, série de humor que o GNT lança no dia 8 de janeiro, a situação não é apenas uma frase feita. Na atração, inspirada em crônicas do colunista do Caderno 2 Luis Fernando Verissimo, um grupo de seis artistas se alterna em diferentes papéis que mudam nos 13 episódios da temporada de estreia.

"Mas você acha que não é a mesma pessoa que está fazendo aquele papel", garante o diretor Arthur Fontes. Para a empreitada, o cineasta convocou Gabriela Duarte, Letícia Colin, Fernanda Paes Leme, Paulo Tiefenthaler, Marcelo Faria e Pedro Monteiro. "Era uma ideia antiga ter uma trupe de atores. E isso era perfeito para o pouco tempo que tínhamos para gravar. Montar 13 elencos diferentes é difícil. Hoje, está todo mundo contratado, a gente tem de pedir permissão (para a emissora)", justifica o diretor, que teve apenas um mês para gravar. "Só tive uma folga", confessa.

Apesar da pressa na execução, Amor Verissimo demorou para sair do papel. Desde 2008, o projeto da série circula pela Conspiração, que a produziu para o GNT. Somente quatro anos depois foi aprovada. "Ficamos um ano nos roteiros", relembra Fontes. Na primeira etapa, a equipe selecionou 70 crônicas do autor gaúcho. Dessas, pinçaram 25 que julgaram mais fáceis para adaptar para a TV. Porém, tiveram de desenvolver as histórias. "Algumas tinham só duas páginas. Mas o Verissimo nos deu liberdade para criar. Ele ainda não viu nada, vai ser surpresa", avisa o diretor.

A série vai mostrar histórias cômicas de amor que podem focar, em média, em três casais a cada semana. Para movimentar as tramas, outros atores farão participações, como Vanessa Lóes e Diana Bouth. No episódio Leve Brisa, em que Luana Piovani é a convidada, a beleza da atriz será motivo de piada. A cada vez que ela entra em cena com ares de mulher fatal, haverá um vento em seus cabelos, como se ela estivesse em um comercial de xampu. "Os personagens não vão entender por que isso acontece", adianta Fontes.

Na escalação do elenco, o diretor quis que os atores fossem na contramão do que costumam fazer na TV. "Com alguns atores da Globo, as pessoas têm a tendência a coloca-los numa gaveta. O Marcelo é o eterno surfista carioca. Queria tirar esse estereótipo. Quanto à Gabriela, acho que ela está subaproveitada. Sempre a chamam para o mesmo papel. Ela é uma comediante. A Fernanda também tem um timing de comédia. Você não imagina que eles possam ser tão engraçados. Queria surpreender esses atores de novela a quem nunca deram uma oportunidade", diz Fontes.

Refinamento. Mesmo com uma cronograma apertado, a equipe tentou dar um tratamento de cinema à série. "É TV por causa da pressa, mas com o cuidado do cinema. Usei a mesma câmera que o Peter Jackson filmou O Hobbit", explica o diretor. De acordo com ele, a atração terá um tom de comédia com poucos exageros. "Não precisa ser aquela coisa com todo mundo gritando. O Verissimo é tímido e as histórias têm um lado surrealista", compara o cineasta, que recentemente esteve à frente de As Surtadas da Yoga, com Fernanda Young.

Depoimentos de anônimos sobre seus relacionamentos serão inseridos ao longo de cada episódio. "Mas os personagens de cada capítulo também farão isso. Vão falar sentados em um sofá", descreve o diretor, que leva fé na segunda temporada. "O Verissimo tem muitas histórias, tem gás."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.