Imagem Vanessa Barbara
Colunista
Vanessa Barbara
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Facebook para Deprimidos

A julgar pelas redes sociais, todo mundo está descansando numa praia paradisíaca, entregando teses de doutorado, se divertindo à beça com amigos de boa aparência, ganhando prêmios, aprendendo russo, subindo de faixa no judô, parindo de forma épica, comprando apartamentos, dando a volta ao mundo de bicicleta e se mudando para Paris. 

Vanessa Barbara, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2015 | 02h00

Trata-se de um imenso constrangimento para nós, os deprimidos, que também gostaríamos de anunciar nossas conquistas e receber a mesma aclamação pública dos que correm 10 quilômetros por dia ou cortam totalmente os doces da dieta.

Por isso pensei em lançar uma rede social só para nós, o Facebrood (em inglês, “brood” é o ato de remoer pensamentos tristonhos). Exemplos de postagens populares nessa nova rede: “Hoje à tarde, consegui levantar da cama e tomar banho. #‎feelingblessed”

“Cheguei à sexta-feira sem chorar! Chupa, sociedade.” “Saí agora há pouco para comprar meias. #hojeninguemmepara”

“Feriadão: tomando sol na laje e comendo banana.” 

A rede será tomada por exemplos de ostentação (gente que conseguiu tirar o pijama, sujeitos que gabaritaram o Inventário de Ansiedade de Beck) e fotos de teto. Os clipes mais difundidos serão os de bandas como The Cure, Belle and Sebastian e Joy Division. Todos irão compartilhar fervorosamente seus psicólogos preferidos e descobrir, com surpresa, que existe a terapia comportamental e a cognitivo-comportamental, e que esta última não é necessariamente mais cara do que a primeira (acho que o mundo terapêutico não trabalha com promoções do tipo “leve dois, pague um”). 

O horário mais acessado será da meia-noite às 4 da manhã, com eventuais postagens delirantes de usuários sob efeito de zolpidem, um indutor de sono conhecido pelos pitorescos efeitos colaterais. 

Exemplo de postagem de usuário do Facebrood com insônia simples: “A humanidade não deu certo. A vida não vale a pena. O amor é uma ilusão”.

Exemplo de postagem de usuário do Facebrood sob efeito de zolpidem: “Ei, sabe o que eu sempre quis ter em casa? Uma lousa branca! Vamos ter uma lousa branca! Nós podemos resolver equações nela!”

No que tange a eventos, os mais populares serão a Noite Virtual de Autógrafos, em que todos se comprometem a parar no mesmo horário e mandar bons eflúvios para o autor, e o Grande Encontro de Introvertidos 2015, no qual cada um levará o seu livro e escolherá um cantinho para lê-lo. Não haverá nenhum problema em confirmar presença e não comparecer. O simples fato de sair de casa – ainda que se desista no meio do caminho – será altamente apreciado, com média de 11 mil curtidas e muita gente invejando. “Ainda chego lá!”, será um dos comentários.

Estamos falando, enfim, de um Facebook mais realista e compreensivo, no qual todos se sentirão à vontade para se vangloriar de haver dado uma volta no quarteirão e cortado as unhas.

Tudo o que sabemos sobre:
Coluna

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.