Fábio Jr: casamento que parece superprodução

A mãe da noiva diz que tentou evitar, mas que outra palavra poderia definir o casamento de Patrícia de Sabrit e Fábio Jr. se não espetáculo? ?Sou adepta da máxima ?menos é mais??, diz a socialite Marina de Sabrit. ?Estou preparando uma festa simples, não se trata de um show?, completa.A ?festinha? patrocinada pela (quinta) sogra de Fábio Jr. revela números dignos de uma superprodução: 130 profissionais envolvidos, 1 tonelada de alimentos, 3.500 dúzias de rosas vermelhas e 500 kg de velas gastos para decorar os salões do Jockey Club, onde acontece, sábado à noite, o enlace civil do casal famoso. Isso sem falar na infra-estrutura de iluminação e áudio: são 250 canhões de luz e 25 caixas de som. ?Vamos montar uma boate no salão, com direito a dois telões. Mas o evento também vai ter música ao vivo. Contratamos 30 músicos clássicos, um tenor e uma soprano?, conta o decorador Manuel de Stockler e Breia que, juntamente com o sócio, Fábio Arruda, organiza a festa.Arruda, que é padrinho da noiva ao lado da madrinha Adriane Galisteu, cumpriu na última semana uma rotina de celebridade: foi convidado para participar de oito programas de televisão e procurado por vários jornais e revistas. Entre uma gravação e outra ? ?vou conversar com você enquanto faço a maquiagem, tudo bem?? ? ele contou sobre os preparativos para acomodar os 200 repórteres e fotógrafos cadastrados para cobrir o evento.Os jornalistas vão ter à sua disposição uma sala com telefones, tomadas próprias para a instalação de laptops e um gerador para o carregamento das baterias das câmeras de tevê. O decorador diz ter organizado duas festas ? a oficial, para 350 convidados, e a ?paralela?, um coquetel para a imprensa. ?Não daria certo misturar todo mundo. Os jornalistas vão ser servidos à parte?, explica ? o que equivale a dizer que a imprensa ficará confinada nessa ?sala especial?. Segundo Arruda, o único contato que os repórteres terão com os noivos será em uma entrevista coletiva, logo após o casamento, antes que Patrícia e Fábio adentrem o salão da festa para receber os amigos. A cerimônia propriamente dita só será assistida pela família.?Minha filha não vai se casar no religioso, mas não abriu mão de caminhar até o Fábio de braço dado com o pai, vestida de branco?, conta Marina de Sabrit. ?Por isso preparamos uma passarela para a entrada da noiva. Como ela foi colocada em um espaço pequeno, o acesso ao local será limitado aos mais íntimos?, diz. Habituadíssima a receber convidados, a socialite não se abalou com o prazo apertado ? 20 dias desde o anúncio oficial do noivado ? para organizar o espetáculo, ops, ?festinha?. Entregou tudo nas mãos dos decoradores e chegou até a viajar para uma feira de moda no Rio Grande do Sul, três dias antes da cerimônia.Nos Pampas, Marina ficou grudada no celular, super solícita à imprensa. ?Quem está na chuva é para se molhar. O artista deve satisfação a seu público, não é? Minha filha é uma pessoa conhecida e o Fábio, então, nem se fala?, diz a mãe da noiva. ?Além do mais, sou uma pessoa supersimpática. Sou sofisticada na imagem, mas simples no jeito de ser. Vou de Lady Di a Sula Miranda em segundos?, diz Marina, justificando a própria disponibilidade.A mãe do noivo, ao contrário, fugiu dos jornalistas ? talvez porque seja a quinta vez em que passa por essa mesma história. Dona Nilva, uma professora de piano mãe de três filhos, deixou uma secretária eletrônica ligada ao telefone de casa e desapareceu. ?Acho que ela viajou?, disse a assessora de imprensa de Fábio Jr..O assédio da imprensa aos noivos e a seus familiares se explica: não é de hoje que a vida de gente famosa é de enorme interesse do público, que acompanha os acontecimentos reais como quem assiste a uma novela. Cientes disso, muitos artistas vem dando um jeito de faturar: Michael Douglas e Catherine Zeta Jones, por exemplo, duas celebridades de Hollywood, incrementaram a conta bancária ao vender para a imprensa as fotos exclusivas de seu casamento, realizado no fim do ano passado e fechado aos jornalistas. Marina de Sabrit é sofisticada demais para fazer algo assim ? mas que está organizando um espetáculo, ah, isso está.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.