Fábio Delduque

O artista escolhe músicas para inspirar o trabalho.

, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2010 | 00h00

1. SMOKE RINGS- Laurie Anderson.

"Era o máximo na época. Uma artista multimídia fazendo um som totalmente viajante com

todo aquele visual".

2.TODO AMOR QUE HOUVER NESSA VIDA - Cazuza.

"Um dos poucos verdadeiros rebeldes da geração 80."

3. OPEN THE KINGDOM - Philip Glass e David Byrne.

"Do Songs From Liquid Days. Ouvi o piano minimalista desse disco até furar o vinil.

4. DANCE ME TO THE END OF LOVE - Leonard Cohen.

"Escolhi essa como poderia ter escolhido qualquer outra dele. São todas excelentes".

5. SEREIA AMOR D"ÁGUA- Cibelle.

"Uma homenagem ao Suba, que foi um dos grandes produtores que tivemos por aqui. Morreu bem jovem, em um acidente besta".

6. TERRIBLE ANGELS - Coco Rosie.

"Essa dupla de meninas canadense é muito sensual e faz uma mistura muito particular de

música francesa com eletrônico, hip hop e jazz. Maravilhosas".

7. NEGA, NEGUINHA

Márcia Castro.

"Uma cantora baiana que merece atenção. Não tem nada a ver com o que reconhecemos como música da Bahia. É universal".

8. STÓRIA, STÓRIA, STÓRIA- Mayra Andrade.

"Essa jovem cantora e compositora nascida em Cuba viveu em Cabo Verde, Paris e gosta muito de vir ao Brasil. Com rara competência para uma artista tão jovem, Mayra nos mostra que é possível fazer música com forte influência de Cesária Évora, porém com uma mistura muito maior de ritmos e culturas".

9. CRUA - Otto.

"O novo disco é o melhor de sua carreira. Faz uma inusitada mistura de fossa e festa. Crua é a primeira faixa e já representa muito bem o que vem pela frente".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.